AFOGADOS DA INGAZEIRA - MEMÓRIAS Guest Book

Caso você queira colocar seu registro, clique aqui!


 Registros de 341 a 360 do total de 5159 [Anterior] [Próximo]

Álbum Iconográfico de Afogados da Ingazeira
Um show de Memórias!

Abrindo o Álbum, a expectativa era grande e não fui desapontado. Vi e revi velhos amigos dos tempos idos e alguns que nao conheci mas, no contexto, eram todos participantes do cenário afogadense em diversas épocas e diferente ocasiões.
Numa exuberante festa fotográfica de mais de 60 minutos, Fernando nos apresenta mais uma oportunidade de reviver datas e momentos memoráveis, bem como rever personagens que foram líderes da nossa sociedade sertaneja, ou simplesmente amigos e parentes que ja se foram mas que deixaram uma saudade que não sabemos definir.

A abertura apresenta as nossas raízes modestas mas laboriosas, construindo a Igreja que ficou sendo o marco central da nossa cidade. Não tínhamos recursos, mas a visão (do francês Pe. Carlos Cottart) de construir essa obra de arquitetura Gótica de beleza ímpar. Foi o espírito solidário que prevaleceu e a obra magestosa nos faz orgulhosos, pois sabemos que houve um esforço da população afogadense (que não era grande) mas respondeu ao chamado de várias maneiras.
Nos vários momentos em que fotos da Igreja são apresentadas no vídeo, nos faz sentir o momento vivido em cada uma delas, que nos emociona pela sua imponência.

Em seguida vem o prédio que chamávamos de “Sanatorio”, o qual, no período de sua existência recebeu diversos nomes, me tocou pessoalmente pois “ela me beijou e eu fiquei fisgado” num dos escritorios ali estabelecidos”
O Cruzeiro também foi um marco rústico simples que dava as boas vindas à entrada da cidade, e nos confortava como marco da cristandade. É lamentável que agora só exista nas fotos.

Revi o assentamento do calçamento, bem como a construção do Cine Pajeú de muitas boas lembrancas.
Vi, tambem, o desenvolvimento da cidade, bem como o seu embelezamento com o ajardinado bonito e os novos bairros.

O Fernando, afirmativamente, nos apresenta uma obra magnífica retratando a nossa cidade desde sua humilde origem, até o período mais moderno e mais belo com a transição das fotos em preto e branco para as coloridas dos dias atuais.
Devo dizer que a foto de 24 de abril de 2013 me impressionou bastante, pois apresenta a Catedral e, ao fundo, a Serra dos Pereiros , apresentando um cenário deslumbrante.

Parabéns, Fernando, e muito obrigado pelo maravilhoso “Show fotográfico” da nossa terra que é, sem dúvida, o melhor presente de Natal para este velha guarda.
Abraço, e ate breve.

Zeze Moura <jojephd@yahoo.com>
Rosemead, CA EUA - 29-Novembro-2013 / 19:16:03
Amigo/irmão Fernando, por conta da subida do Sport Clube do Recife para a série A, fiz essa homenagem aos torcedores Rubro Negros...

SPORT CLUB DO RECIFE
Ainda de ressaca, na manhã desse domingo (24/11), ao ver as manchetes dos principais jornais brasileiros, não pude conter a... [Leia mais]

Danizete Siqueira de Lima <danizete_siqueira@hotmail.com>
Recife, PE Brasil - 24-Novembro-2013 / 22:22:49
Fernando Pires
Recife, PE Brasil - 20-Novembro-2013 / 11:10:10
Afogados da Ingazeira, cidade maravilhosa, eu amo minha terra natal em Pernambuco.

Maria Alves Takeuchi <aishiteru-2013@hotmail.com>
Suzano, SP Brasil - 16-Novembro-2013 / 9:19:59

Fernando Pires
Afogados da Ingazeira, PE Brasil - 13-Novembro-2013 / 21:09:46
Fernando, meu amigo, faço minhas as suas palavras e sei tudo que acontece ai. Sinto muito por dona Tida. Fico revoltada, mesmo morando aqui tão distante. Queria poder fazer alguma coisa, mas infelizmente não posso.
De uma coisa tenho certeza, o que acontece ai não é normal em lugar algum, as pessoas têm medo de reclamar e os órgãos competentes não tomam providências... Por quê? Deve ter algum motivo para tanta bagunça.
A minha mãe mora nessa cidade que amo tanto, só que acho que se eu estivesse morando ai, com certeza iria brigar muito. Alguém precisa fazer alguma coisa, essa falta de respeito é inaceitável, chega a ser ridícula.
Conheci o prefeito atual que se mostrava uma pessoa idealista, inteligente e muito humana, achei que na gestão dele tudo isto acabaria, afinal o Prefeito é eleito para o bem da sua cidade e vejo que continua a mesma coisa .
Sinto muito, estou decepcionada com as coisa que fico sabendo de Afogados da Ingazeira.
Fico triste.

Fátima Marques Almeida <almeida.marques10@hotmail.com>
Paulinia, SP Brasil - 13-Novembro-2013 / 10:59:28


Caro Zezé Moura, a Asavap - Lar do Idoso, em Afogados da Ingazeira, já tomou conhecimento de mais uma generosa contribuição enviada.
Você é um afogadense que, mesmo estando distante da terra desde os anos 1950, não esquece dos seus conterrâneos, sobretudo os idosos.
Obrigado, Zezé Moura!

Fernando Pires
Afogados da Ingazeira, PE Brasil - 12-Novembro-2013 / 19:06:58
Perda de amigos...

Fiquei muito triste com a notícia que vi neste Mural falando sobre o falecimento do meu amigo Orestes e também do João, seu irmão. Éramos muito amigos, Depois me mudei daí e perdi o contato, porém sempre conservei o carinho que tinha por eles.
Nunca esqueci amigos e amigas que conquistei aí.
Sinto muito!

Fátima Marques Almeida <almeida.marques10@hotmail.com>
Paulinia, SP Brasil - 12-Novembro-2013 / 14:56:55
Acidente entre motos

O Polícial Militar, Pedro Vieira (Peduca), 47 anos, vítima do acidente ocorrido ontem na Av. Rio Branco, faleceu no Hospital da Restauração, no Recife.
O corpo será transladado para Afogados da Ingazeira, onde será velado. O sepultamento acontecerá em Ingazeira, sua cidade natal.

Fernando Pires
Afogados da Ingazeira, PE Brasil - 12-Novembro-2013 / 9:15:00
O desabafo do senhor Fernando Pires, foi notícia aqui no Rio Grande do Norte.
[Leia...]

Paula Fernanda Fernandes <pfsjvjn@hotmail.com>
Natal, RN Brasil - 11-Novembro-2013 / 22:19:47
Acidente entre motos

Agora há pouco, duas motos se chocaram na Rio Branco, em frente ao Sindicato dos Trabalhadores Rurais, aqui em Afogados da Ingazeira. Os envolvidos foram um policial militar e uma senhora que teve alguns arranhões.
O cabo da polícia militar ficou estendido na pista e em 15 minutos o Corpo de Bombeiros realizou o atendimento. Não se sabe, ainda, o estado de saúde da vítima.

Fernando Pires
Afogados da Ingazeira, PE Brasil - 11-Novembro-2013 / 15:45:10

Grande Ademar,
Caso o nosso poeta e amigo Quincas Rafael estivesse vivo e fosse visitar Brotas, iria dizer mais ou menos o seguinte:

Foi uma das atrações
Do meu Pajeú outrora
Mas o seu estado agora
Chega a cortar corações
Os seus 26 milhões
De metros cúbicos, é verdade
Serviram à nossa cidade
Como a toda região
E hoje parece um cacimbão
Retratando a crueldade .

Danizete Siqueira de Lima <danizete_siqueira@hotmail.com>
Recife, PE Brasil - 10-Novembro-2013 / 10:42:23

A Lei do Silêncio -

Fernado, alguém daí já formalizou uma notícia-crime a respeito desses fatos frequentemente comentados por você? O texto a seguir é uma transcrição. Não sei quem é o autor. É apenas uma sugestão.
"A Notitia Criminis (stricto sensu) é a comunicação que a vítima faz da infração penal que sofreu. Nesse caso, a própria vítima se dirige à autoridade policial, com a finalidade de informar que foi vítima de uma determinada infração penal.
Vale lembrar, que a infração penal é um gênero, que comporta duas espécies distintas: crimes e contravenções.
- A Delatio Criminis é a comunicação efetuada por qualquer um do povo. Obviamente, ela só será possível nos crimes de ação penal pública, uma vez que os crimes de ação penal privada dizem respeito à própria vítima e nada poderá ser feito sem a sua autorização. - O que o Delegado de Polícia faz acerca da Delatio Criminis?
Ele instaura a VPI (Verificação de Procedência de Informação). Daí, ele vai ao local, busca informações, investiga as redondezas, conversa com possíveis testemunhas, faz operações na região, tudo com a finalidade de verificar se as informações são procedentes ou não.
O que é considerado inconstitucional é a prisão para investigação. Porém, a VPI é totalmente constitucional. Ela está representada pelas pastas brancas na Delegacia de Polícia (as pastas vermelhas são os autos de prisão em flagrante e as pastas brancas são as VPI’s). Se a informação da Delatio Criminis era procedente, o Delegado de Polícia vai instaurar o inquérito policial. Porém, se a informação era improcedente ou inconclusiva, o Delegado de Polícia vai acautelar aqueles dados, guardando-os por período indeterminado.
- O disque-denúncia é uma forma de Delatio Criminis Anônima, também chamada de Delatio Criminis Inqualificada (pois não há a qualificação daquele que a forneceu)."

Tadeu Góes <jt.goes@bol.com.br>
Recife, PE Brasil - 10-Novembro-2013 / 9:37:41

Não me calarei!

Para comemorar aniversário de um bar, na Av. Rio Branco, a música (ruído) rolou desde as 19h de ontem (sábado 9) até a 1h da manhã deste domingo. Mas, os notívagos frequentadores permaneceram cantando e conversando em voz alta até as 4h30. Dizemos isso, pois não conseguimos conciliar o sono com essa movimentação madrugada adentro.

Certamente os proprietário tiveram autorização da Prefeitura e do Ministério Público para assim proceder. Já bati inúmeras vezes nessa mesma tecla, mas não me canso, pois certamente uma grande maioria desse logradouro não comunga com essa atitude e autorização, no mínimo irresponsável, pois afeta diretamente os idosos e as famílias que querem e têm o direito ao repouso e ao respeito.

Proximamente a Av. Rio Branco será palco de “encontro de motociclistas”, o “famigerado arerê”, “carnaval”, e certamente “aniversários” de mais bares que proliferam em nossa antes tão pacata e séria cidade. Essa gente “perdeu” a noção de Direito e Respeito, em nome de interesses particulares e do Medo!

A minha indignação é sobretudo em nome da saúde da minha mãe, senhora de 87 anos e que carrega consigo a doença de Parkinson que a torna dependente de tudo o que se possa imaginar. Ela não dá um passo sequer sem o nosso apoio. Para se virar no seu leito é necessário que o façamos. Para comer, temos que colocar a comida na sua boca. Para andar – com sofrimento - nós, os filhos, a carregamos. Por vezes tem que ser em cadeira de rodas, pois o Parkinson é “perverso”. Para ir ao banheiro, só com duas pessoas, pois o seu corpo se torna muito pesado. Para tomar banho, e todo o seu asseio, necessita de um filho... Durante à noite, nos levantamos várias vezes para atender suas necessidades fisiológicas.

Essa é a vida da minha mãe que, por mais que seja sofrida, queremos que seja digna , até quando Deus permitir que ela esteja no nosso meio. Nós a abraçamos e as autoridades a massacram.

Ocorre que a visão míope das autoridades não enxergam isso. Preferem atender os anseios da população que quer diversão, mesmo que seja em um ambiente impróprio para tal. É muito bom sair de suas residências em outros logradouros da cidade e se deslocar para a Av. Rio Branco se divertir. A sua mãezinha e seus familiares certamente ficarão dormindo tranquilamente. A Rio Branco e o seu entorno são logradouros que têm muitos idosos que querem viver - mesmo sofridos -, em paz.

Eu não consigo mais cumprimentar nem apertar a mão de antigos “amigos” que hoje apoiam essa agressão a quem quer apenas sobreviver com dignidade. Certamente muitos já perceberam que a amizade não mais existe. E jamais voltará a ser como antes, pois é o mesmo que açoitar a minha mãe e os idosos e famílias que residem na área afetada.

Estejam certos de que isso não é um ponto final!

Fernando Pires
Afogados da Ingazeira, PE Brasil - 10-Novembro-2013 / 6:51:35

Brotas

Quando Quincas Rafael escreveu esse verso, jamais ele ou alguém sonharia com as cenas abaixo registradas em fotos:
Em doze foi projetada
O Padre Arruda forçou
Eraldo desencantou
A esse reino encantado
Hoje existe no mercado
Desde tomate ao caju
Se nadar o cururu
Chega até a Vaca Morta
SÓ BROTAS MESMO SUPORTA
AS FÚRIAS DO PAJEÚ

Ademar Rafael Ferreira <aherasa@ig.com.br>
Marabá, PA Brasil - 9-Novembro-2013 / 22:58:07
No 1º dia deste mês de novembro fui ao bairro São Francisco, aqui em Afogados da Ingazeira, adquirir flores para colocar no túmulo de familiares. Vendo aquele senhorzinho no local, indaguei-o sobre sua origem. Ele - que está prestes a completar 90 anos no dia 3 de maio de 2014 - me disse que nasceu em Caruaru e lida com Flores desde os 7 anos de idade.
Perguntei-o qual a razão de vir para Afogados da Ingazeira. Disse-me: "Aos 50 anos - em 1974 - ouvi uma pessoa dizer que todo pobre que fosse para o Sertão, em pouco tempo ficaria milionário. Mas, fui enganado!".
Mesmo não conseguindo lograr êxito com a empreitada, permaneceu na cidade vendendo flores, e já se passaram quase 40 anos. O senhor Antônio José da Silva (foto) é muito simpático e mantém uma conversa agradável. A sua esposa está com 88 anos de idade.

Fernando Pires
Afogados da Ingazeira, PE Brasil - 9-Novembro-2013 / 8:31:10

¨O Sonho Fotografado”

Embevecido e entusiasmado tomei conhecimento da oportuna e feliz matéria. Como filho dessa terra sofrida - mas que tem recebido o apoio dos homens de boa vontade -, não poderia, neste momento, deixar de escrever o pouco do que o coração sente e o cérebro registra e manipula com racionalidade.
Prezado articulista, com todo o respeito e admiração, transmito-lhe os meus parabéns e registro o compromisso inequívoco de palmilhar junto essa estrada que há de ser coroada de êxito para o bem de todos nós.
Essa obra há de ser um oásis num deserto que clama por amenidade, faz muito tempo.

Carlos Fernandes Viana Alves <cviana07@gmail.com>
Brasília, DF Brasil - 7-Novembro-2013 / 16:55:23



O Sonho Fotografado - O Fernando Pires me liga e pergunta: Viu a foto? Abri o mural e vi a foto. Mas esta foto vem com um filme que está gravado na mente e me impulsiona a seguir em frente, pois sei que centenas, no início, e já milhares, acredito, deram um pouco de si para que fosse possível, neste momento contemplarmos esta foto. A FOTO DO SONHO. A foto da generosidade, do desprendimento de todos aqueles que continuam acreditando no nosso propósito. Já é possível se vislumbrar um futuro mais próximo, quando nossos irmãos longevos terão um lar digno, acomodações arejadas, higiênicas, espaço para lazer e para suas caminhadas, mesmo que claudicantes pelo peso da idade.

Esta foto é dedicada aos nossos colaboradores, que continuam mês a mês enviando sua quantia para somarmos esforços e tocarmos em frente nossa empreitada.

E para que você entenda melhor, vamos delinear as próximas etapas. A primeira é concluir a laje, pois ainda faltam 182 metros quadrados, como você pode observar na foto. Depois disso, a próxima etapa é a instalação hidráulica, lembrando que teremos 17 (dezessete) banheiros. A terceira etapa será o piso que, por exigências técnicas terá que ser feito com o material conhecido por granito, pois segundo os especialistas, evita a aglomeração de bactérias e facilita a higienização.

Diante dessas etapas, não é difícil deduzir que precisamos continuar apelando para a sensibilidade de todos para que não fiquemos pelo caminho. Isso nunca. Acredito nos homens e mulheres de boa vontade e sei que não estaremos sós.

A emoção me impede de continuar, mas não precisa dizer tanto. A foto diz mais que mil palavras. O sonho está aí, e ele também é seu.
A realidade virá em breve... acreditemos e veremos.

Luciano Bezerra
Afogados da Ingazeira, PE Brasil - 6-Novembro-2013 / 20:22:03
Meu pai, Jose Amâncio de Brito, nasceu em Afogados da Ingazeira, mas, foi para São Paulo, acredito que há uns 70 anos. Ele sempre sonhou em retornar à sua terra, mas não pôde realizar o seu sonho em vida. Eu gostaria de encontrar algum parente dele: sobrinhos, primos... para poder conhecer e realizar o sonho do meu pai, mesmo que somente agora, após a sua morte.
O meu avô, que morreu por causa de ¨briga de jogo¨ se chamava João Amâncio de Brito e minha avó Ana Maria da Conceição.
Agradeço a quem puder me ajudar nessa busca.

Beatriz Fernandes de Brito <beatriz_fernandes@r7.com>
Rio de Janeiro, RJ Brasil - 5-Novembro-2013 / 15:37:06
Fernando Pires, concordo com você. A cidade que já foi exemplo de convivência, respeito, humanidade, transforma-se num campo onde impera o desrespeito, o mau gosto, a sujeira, o lixo sufocando as pessoas.
Saramago dizia que estamos voltando à idade da pedra lascada. Se não temos a capacidade do convívio social, estamos fadados a desaparecer. Aquilo que eles chamam de música, reflete tão somente uma mente coletiva cuja capacidade de pensar se esvai a cada segundo.
Será que somos uma sociedade ou um bando? [Daniel E. Ferreira, no Facebook]

Daniel FerreiraE, no Facebook
Recife, PE Brasil - 3-Novembro-2013 / 17:06:43
[Anterior] [Próximo]

Volta

Livro de Visitas desenvolvido pela Lemon Networks