AFOGADOS DA INGAZEIRA - MEMÓRIAS Guest Book

Caso você queira colocar seu registro, clique aqui!


 Registros de 1 a 30 do total de 5013 [Próximo]

Memórias do um Afogadense ausente 50 anos de sua Afogados da Ingazeira
[A última vez que esteve em Afogados da Ingazeira foi em 1965]

“A bem da verdade o responsável direto de minha ida a Afogados foi vc (Fernando Pires). Sempre nutri o desejo de uma visita, mas, vc sabe, profissão, casamento, filhos, netos e outros afazeres terminam ocupando os espaços, e dessa forma nossos anseios vão ficando adormecidos ou esquecidos.
Foi lendo seu site (MURAL) sobre a terrinha que fez despertar o sentimento de rever as origens.

ONTEM... 1953

1.Não faço a menor ideia, mas tinha Afogados mais de 5.000 habitantes?
2. Não possuía os serviços essenciais, tais como: calçamento, energia elétrica - o refrigerador lá de casa era à querosene - serviços de saúde pública, enfim, estava mais pra vila que Cidade.
3. De onde morávamos, residência atual de Dr. Aloisio (Arruda), tínhamos uma visão praticamente de toda cidade.
4. Havia o Cruzeiro, a igreja, as residências das pessoas conhecidas, e o comércio. Logo depois da igreja vinha a casa de Letícia Góes, a mais imponente da época. Foi no sótão dessa casa que tive algumas aulas com sua sobrinha Ione Góes, por sinal, muito bonita!
Se não estou enganado, tinha também o clube social onde brincávamos carnaval e onde houve um almoço de despedida do velho meu pai.
5. Falando em Momo, como esquecer os papangus que a nós meninos metia um medo danado!
6. Figuras míticas como Zé Grelhado, Ze Doido e Macacaiu sempre apareciam lá por casa. Me parece que mamãe, afora o papo, sempre tinha algo a lhes servir;
7. Minha escola ficava ao lado da igreja (Escolas Municipais Reunidas, depois Escolas Reunidas Dona Anna Melo), hoje é uma repartição municipal. Em frente, estava o consultório de papai - hoje há uma edificação que faz parte da diocese (Cúria diocesana, antes Palácio Episcopal);
8. Em frente à casa de Miguelito, naquele imenso pátio (hoje Praça de Alimentação), aos sábados, havia a feira com a famosa “pantera negra” enjaulada que nos metia medo. E descendo um pouco tínhamos a presença do caudaloso “Pajeú”.
9. Não sei por onde ficava, mas acompanhando mamãe íamos levar mantimentos para os presos na cadeia pública (na época na Rua Barão de Lucena);
10. Tenho grata recordação da família Collier. Dr. Luiz, homem extremamente elegante, Dona Lucy e seus filhos Roberto, Rogério, Armínio e as meninas.
11. Não posso esquecer a sirene com as chamadas para o cinema (Cine Pajeú).
12. Essa foi à Afogados da minha infância até os 8 anos de idade.

HOJE... 2015

1. Vi uma cidade completamente diferente, não poderia ser diferente...
2. Comércio efervescente, um vai e vem de gente nas ruas e sofrendo os mesmos males das grandes cidades: grave poluição sonora, congestionamento de automóveis e a maluquice das motos. Fiquei impressionado!
3. Belas residências, consultórios médicos com várias especialidades, casa de saúde com uma aparência externa muito vistosa;
4. Um bom restaurante - onde foi à casa de Letícia Góes - com serviço à la carte.
5. Bons botecos.
6. Com Tom, genro de Dr. Aloisio, demos uma volta em torno do município. Fiquei impressionado com o tamanho do crescimento de Afogados.
7. Recentemente estive em Barcelona, Espanha e lhe afirmo sem medo de errar, o serviço de internet da pousada Brasilino e do “buteco” Pilão, um que fica vizinho ao BB, são muito mais eficientes. O sinal entra muito forte, uma beleza! Tem mais, são gratuitos o que não acontece em algumas hotelarias da Europa.
8. Embora nosso encontro tenha sido muito rápido, Carlinhos de Lica é uma simpatia. Não é preciso muito tempo para conhecer seu valor.
9. Fui à casa onde nasci. Hoje ocupada por Dr. Aloisio Arruda. A bem da verdade a única pessoa que encontrei de meu tempo. Externou simpatia e memória. Declinou o nome de toda minha família. Fiquei impressionado. O piso da sala reconheci que era o mesmo de meu tempo fato confirmado por ele e estive no quarto onde presenciei o falecimento de meu avô FAUSTO DE OLIVEIRA CAMPOS.
10. É isso meu caro Fernando, a você agradeço essas doces recordações.
Tenho a impressão que antes do fim do ano voltarei.

Um grande abraço.”

_____________________________________________

[Luciano Campos Henriques, filho do também médico dr. Herbert Miranda Henriques, que exerceu a medicina na nossa cidade até 1953, quando se mudou para João Pessoa, na Paraíba.]

Fernando Pires
Recife, PE Brasil - 29-Agosto-2015 / 21:34:18
Faleceu nesta quinta-feira 27, aos 86 anos, Julia do Nascimento de Alcântara (1929 - 2015), viúva de Passo Alcântara.
Ela esteve internada alguns dias na Casa de Saúde Dr. Jos[e Evóide de Moura e recebeu alta hoje.
Já em sua residência sofreu infarto fulminante que a levou a óbito.

Fernando Pires
Recife, PE Brasil - 27-Agosto-2015 / 22:31:46

Envelhecer

"Envelhecer é o único meio de viver muito tempo.
A idade madura é aquela na qual ainda se é jovem, porém com muito mais esforço.
O que mais me atormenta em relação às tolices de minha juventude, não é havê-las cometido... é sim não poder voltar a cometê-las.
Envelhecer é passar da paixão para a compaixão.
Muitas pessoas não chegam aos oitenta porque perdem muito tempo tentando ficar nos quarenta.
Aos vinte anos reina o desejo, aos trinta reina a razão, aos quarenta o juízo.
O que não é belo aos vinte, forte aos trinta, rico aos quarenta, nem sábio aos cinquenta, nunca será nem belo, nem forte, nem rico, nem sábio...
Quando se passa dos sessenta, são poucas as coisas que nos parecem absurdas.
Os jovens pensam que os velhos são bobos; os velhos sabem que os jovens o são.
A maturidade do homem é voltar a encontrar a serenidade como aquela que se usufruía quando se era menino.
Nada passa mais depressa que os anos.
Quando era jovem dizia:
“verás quando tiver cinquenta anos”.
Tenho cinquenta anos e não estou vendo nada.
Nos olhos dos jovens arde a chama, nos olhos dos velhos brilha a luz.
A iniciativa da juventude vale tanto a experiência dos velhos.
Sempre há um menino em todos os homens.
A cada idade lhe cai bem uma conduta diferente.
Os jovens andam em grupo, os adultos em pares e os velhos andam sós.
Feliz é quem foi jovem em sua juventude e feliz é quem foi sábio em sua velhice.
Todos desejamos chegar à velhice e todos negamos que tenhamos chegado.
Não entendo isso dos anos: que, todavia, é bom vivê-los, mas não tê-los."

[Albert Camus - filósofo franco-argelino (1913 – 1960)]

Fernando Pires
Recife, PE Brasil - 24-Agosto-2015 / 17:46:54

Amizade talvez seja isso...

Se eu morrer antes de você, faça-me um favor:
Chore o quanto quiser, mas não brigue com Deus por Ele haver me levado.
Se não quiser chorar, não chore.
Se não conseguir chorar, não se preocupe.
Se tiver vontade de rir, ria.
Se alguns amigos contarem algum fato a meu respeito, ouça e acrescente sua versão.
Se me elogiarem demais, corrija o exagero.
Se me criticarem demais, defenda-me.
Se me quiserem fazer um santo, só porque morri, mostre que eu tinha um pouco de santo, mas estava longe de ser o santo que me pintam.
Se me quiserem fazer um demônio, mostre que eu talvez tivesse um pouco de demônio, mas que a vida inteira eu tentei ser bom e amigo.
Se falarem mais de mim do que de Jesus Cristo, chame a atenção deles.
Se sentir saudade e quiser falar comigo, fale com Jesus e eu ouvirei. Espero estar com Ele o suficiente para continuar sendo útil a você, lá onde estiver.
E se tiver vontade de escrever alguma coisa sobre mim, diga apenas uma frase :
'- Foi meu amigo, acreditou em mim e me quis mais perto de Deus!' Aí, então derrame uma lágrima.
Eu não estarei presente para enxuga-la, mas não faz mal. Outros amigos farão isso no meu lugar.
E, vendo-me bem substituído, irei cuidar de minha nova tarefa no céu.
Mas, de vez em quando, dê uma espiadinha na direção de Deus. Você não me verá, mas eu ficaria muito feliz vendo você olhar para Ele.
E, quando chegar a sua vez de ir para o Pai, aí, sem nenhum véu a separar a gente, vamos viver, em Deus, a amizade que aqui nos preparou para Ele.
Você acredita nessas coisas?
Sim? Então ore para que nós dois vivamos como quem sabe que vai morrer um dia, e que morramos como quem soube viver direito.
Amizade só faz sentido se traz o céu para mais perto da gente, e se inaugura aqui mesmo o seu começo.
Eu não vou estranhar o céu. Sabe porquê? Porque ser seu amigo já é um pedaço dele!

[Padre Zezinho OLIVEIRA, J. F. Amizade talvez seja isso... São Paulo: Paulus Editora, 1988.]

Nota: Apesar de muitas vezes atribuído, de forma errônea, a Chico Xavier, Vinicius de Moraes ou a Fernando Pessoa, o texto é da autoria de José Fernandes de Oliveira (conhecido como Padre Zezinho) e está publicado em seu livro de 1988 "Amizade talvez seja isso..."

Fernando Pires
Recife, PE Brasil - 24-Agosto-2015 / 13:15:58


Faleceu neste sábado 22, de infarto fulminante, aos 79 anos de idade, em Afogados da Ingazeira,
dona Mariquinha, viúva de José Campos da Silva (Zé Panqueta).

Fernando Pires
Recife, PE Brasil - 22-Agosto-2015 / 22:28:39
Faleceu às 3h de hoje, em São Paulo, o primo Roberto Carlos dos Santos (1952-2015), em decorrência de parada cardiorrespiratória e infecção generalizada. Era filho de Toinha e Miguel Jacob e irmão de Fernando do Pilão e Virgínia Marinho, protética em Afogados da Ingazeira, entre outros.
Residia há 46 anos em São Paulo.
Segundo a filha Michelli, sua situação se complicou há 2 meses com problemas pulmonares, pois era fumante.
O sepultamento será realizado em São Paulo, onde residia.
Aos familiares, nossa solidariedade.

Foto de Roberto e a filha Michelli.

Fernando Pires
Recife, PE Brasil - 10-Agosto-2015 / 11:51:32

Fernando Pires
Recife, PE Brasil - 10-Agosto-2015 / 7:23:16
Obrigada pela pesquisa sobre meu bisavô Anselmo Correia de Siqueira, amei. Apesar de morar longe procuro passar para minhas filhas que ainda são pequenas a história de Afogados e de toda a minha família.
Bjs, fica com Deus.

MARIA DA CONCEIÇÃO LOPES DA SILVA <ceica_fsa@hotmail.com>
Feira de Santana, BA Brasil - 9-Agosto-2015 / 13:20:12
É frustrante passar 7... 15 dias em Afogados da Ingazeira e não dispor da tecnologia 3G da TIM para nos comunicar de modo prático e rápido. Algo que já está ficando ultrapassado, pois já existe a 4G.

Disseram-me que nas cidades circunvizinhas esse serviço está disponível... Verdade?

Os afogadenses estão sendo penalizados por interesses particulares?
Quem teria interesse nesse atraso?

Gostaria de receber a informação de que nesses últimos 15 dias finalmente foi implantada a 3G na nossa cidade, pois até o final do mês passado, quando estive aí, a deficiência (o atraso) continuava na "Cidade Polo, Capital do Vale do Pajeú"...

L A S T I M Á V E L!

Fernando Pires
Recife, PE Brasil - 9-Agosto-2015 / 11:23:57

O verdadeiro sentido dos Jogos Olímpicos

O termo ESPORTE vem do grego “SE DEPORTE”, ou seja, “DIVERTIR-SE”. Por isso que essa atividade quando praticada com regularidade e de maneira correta traz muitos benefícios à saúde de todos seres humanos.
Há, aproximadamente, 5.000 anos na Grécia Antiga com o intuito de celebrar e homenagear os deuses surgiram os Jogos Olímpicos. Em sua primeira edição os atletas competiram nas categorias de atletismo, corrida de cavalos, pentatlo e, infelizmente, luta livre e boxe; essas duas últimas ainda hoje constam da relação com mais outras 36 modalidades oficiais para os Jogos Olímpicos do Rio 2016.
No início as Olimpíadas conseguiam até mesmo o cessar fogo das guerras da época, dada sua importância para todos os países envolvidos. Paradoxalmente, hoje, enquanto a humanidade clama pelo fim dos conflitos entre nações e se empenha ao máximo para coibir a violência nas ruas e lares do mundo inteiro, o Comitê Olímpico Internacional insiste em manter em sua planilha competições envolvendo lutas sanguinárias e extremamente violentas, muitas vezes fatais.
De acordo com estatísticas em poder do Journal of Combative Sport, 1255 lutadores de boxe e similares vieram a óbito, até 2005, em decorrência de socos, principalmente na cabeça, durante os selvagens combates. São quase 5 lutadores que perdem a vida por ano em decorrência dessas atividades que o COI aceita como sendo “esporte olímpico”.
Que os cinco continentes se unam e lutem para que essas competições esportivas proporcionem, além da beleza de cada apresentação, valores e princípios às pessoas de todas as idades, e que o respeito, honestidade, noção de justiça, responsabilidade, amor ao próximo, amizade, solidariedade e equilíbrio emocional sejam prioridades da alta entidade olímpica, repensando inclusive a exclusão de modalidades brutais, dando assim, o verdadeiro sentido dos Jogos Olímpicos.

Carlos Moura Gomes <carlosmouragomes@yahoo.com.br>
Afogados da Ingazeira, PE Brasil - 9-Agosto-2015 / 6:40:02
Jogo interessante.
Clique no link...

Tic Toc - Um Puzzle Explosivo ...e instale.

Erotides Pires
Recife, PE Brasil - 8-Agosto-2015 / 19:25:21

Daniela Firmo Lima <danielafirmo41@gmail.com>
Recife, PE Brasil - 8-Agosto-2015 / 18:56:33
JORNAL DO COMMERCIO – CULTURA

A história do pernambucano Zé Pequeno e seu amigo Altemar Dutra
Aos 85 anos de idade, o pernambucano guarda recordações da amizade com o Rei do Bolero

Não por acaso, o cunhado de Zé Pequeno, hoje aos 85 anos, o convidou para conhecer Altemar Dutra. Boêmio que era, o construtor já costumava ser presença confirmada nas farras familiares, sempre aos finais de semana, no bairro de Jardim Atlântico, em Olinda; mas, desta vez, a presença de um ilustre visitante na festa foi o marco zero de uma amizade que se estenderia do final dos anos 1970 até os últimos anos de vida do cantor e compositor romântico, falecido em 1983, em decorrência de um Acidente Vascular Cerebral, durante apresentação na boate novaiorquina El Continente. Entre as canções mais famosas do cantor mineiro, estão Brigas, Meu Velho, Hino ao Amor; sucessos como esses serão interpretados pelo seu filho, Altemar Dutra Jr., nesta sexta (7) no Manhattan, a partir das 21h.

As memórias de Zé Pequeno foram mencionadas enquanto ele balançava em sua rede, recorrendo às vezes à memória de seu filho, o comerciante Duda Pequeno, que cresceu vivendo e ouvindo as histórias da amizade de seu pai com Altemar. Na casa de veraneio que o pai possuia na beira-mar de Rio Doce, também em Olinda, os dias de sexta-feira, sábado e domingo eram reservado às confraternizações etílicas e, pelo menos uma vez por mês, a passagem do cantor pela cidade abrilhantava os encontros.

Uma dos causos que Zé Pequeno costuma contar é da vez que, voltando de um show na Paraíba ao lado de Altemar e o empresário Lima, o pneu do carro furou e precisaram recorrer ao mecânico. "Lima foi buscar o pneu", conta ele, "A gente ouviu um violão tocando num povoadozinho. Um violão e os bebuns cantanto. A Lima foi ajeitar o pneu e a gente foi lá no violão, cheio de cana. A gente foi pra lá, os camaradas ficaram olhando pra gente, tudo admirado. Tinha um camarada que reconheceu Altemar, de um show no Recife. Ele disse: 'me diga uma coisa, o senhor é Altemar Dutra?' Aí começlou a cachaça até amanhecer o dia.”

O carro, a bebida e as mulheres estavam entre as paixões que os amigos compartilhavam na estrada e nas noites pernambucanas. De acordo com Zé, certa vez, em um dos shows que acompanhou o amigo, o contratante não tinha como pagar. "Ele não ia perder, então perguntou se podia ficar com a caminhonete que estava encostada na garagem da casa, que pertencia ao pai do contratante", diz. Eles voltaram para Olinda dirigindo uma Chevrolet azul, posteriormente pintada de vermelho com inscrição "Sentimental Demais", título de uma de suas músicas mais famosas.

Com Altemar Dutra Junior, que se apresenta nesta sexta (7) no Manhattan Café Theatro, a amizade de Duda se refez há sete anos. "Eu estava ouvindo o programa do (radialista) Samir Habou Hana, quando soube que ele viria se apresentar no Recife. Liguei pra Rádio e deixei meu número, me identificando como o filho de Zé Pequeno; e, poucos minutos depois ele retornou", conta. Desde então, sempre que o herdeiro de Altemar Dutra vem por aqui, os encontros entre os filhos dos velhos amigos ocorrem na capital pernambucana.

Vez ou outra, Altemarzinho - como chamam Altemar Jr. - dá o ar da graça na casa da família, hoje na beira-mar da praia do Janga, onde é possível encontrar um rico acervo de Altemar Dutra contendo LPs, CDs, antigas fotografias dos áureos tempos de boemia pernambucana e até figurino (roupas, sapatos, relógio e jóias). A caminhonete Sentimental Demais foi mandada de volta pela cegonha, para a também cantora Martha Mendonça, viúva de Altemar, pouco tempo depois da morte do “Rei do Bolero”.

Fernando Pires
Recife, PE Brasil - 8-Agosto-2015 / 11:11:49
Procurando a história do meu bisavô Anselmo Correia de Siqueira descobri este site (Mural) e achei interessante.
Vou passar para todos os meus irmãos e amigos.
Parabéns, muito bom.

_______________________________________

Ceiça, segue a biografia do seu bisavô.





Anselmo Correia de Siqueira
21.04.1885 - 21.10.1977, aos 92 anos de idade

No final do século XIX, nascia em Afogados da Ingazeira (PE) aquele que seria uma das maiores expressões de poder e riqueza entre os coronéis do sertão do Pajeú. Era 21 de abril de 1885, quando veio ao mundo Anselmo Correia de Siqueira.

Homem letrado, educado, elegante (gostava de terno de linho branco), politizado, sabia, como poucos, dominar a atenção das pessoas que estavam ao seu lado, numa conversa informal. Dono de raciocínio rápido, não tinha dificuldade de entender o objetivo das explanações que seus amigos, correligionários ou adversários políticos entabulavam. Respeitado, temido e admirado. Anselmo Correia também era invejado.

Em 1907 ele se casou com uma jovem cearense de nome Josefina Araújo, com quem teve os filhos Antônio Anselmo de Siqueira e Aurora Siqueira. Em razão deste casamento, deixou sua terra natal e foi residir em Aurora (CE), até enviuvar. Com os filhos em idade de 6 e 5 anos, respectivamente, Anselmo Correia sentiu necessidade de contrair novas núpcias. Voltou, então, ao seu berço natal.

Em 08 de julho de 1914, casou-se com Joana Liberalina de Siqueira, que lhe gerou os seguintes filhos: Aprígio Anselmo de Siqueira, Elisa Evaristo de Siqueira, Adauto Anselmo de Siqueira, Adalberto Anselmo de Siqueira, Elza Evaristo de Siqueira, Antenor Anselmo de Siqueira, Ercília Evaristo de Siqueira, Adelson Anselmo de Siqueira, Eva Evaristo de Siqueira, Evani Evaristo de Siqueira, Agenor Anselmo de Siqueira, Edeilza Evaristo de Siqueira Silva, Ageu Anselmo de Siqueira e Admilson Anselmo de Siqueira.

Anselmo Correia residia no sítio Queimadas (também conhecido como Queimada dos Anselmos e São José), no município de Afogados da Ingazeira.

Agricultor, dono de muitas terras e gado, e de um dos melhores engenhos de cana-de-açúcar do sertão, Anselmo Correia de Siqueira era um homem rico. Íntimo de políticos influentes pode-se dizer que ali estava um cidadão de prestígio e poder.

Em 12 de março de 1919, Anselmo Correia foi nomeado 2º Suplente do Substituto do Juiz Federal, pelo Vice-Presidente da República Delfim Moreira da Costa Ribeiro. Posteriormente, na qualidade de funcionário público estadual, foi designado Delegado de Polícia, através da Portaria nº. 50843, da Polícia do Estado de Pernambuco, cargo que ocupou durante onze anos.

Homem muito católico, Anselmo Correia de Siqueira gostava de fazer novenas em sua casa, as quais eram bastante concorridas e animadas. Tinha o hábito da leitura, com verdadeira predileção pela revista Seleções. E nas horas em que não tinha nada para fazer, fica ao pé do rádio ouvindo notícias.

Era comum encontrá-lo jogando baralho com a família, após o jantar, e com os inúmeros amigos, nas longas tardes de verão.

Por ser uma pessoa de destaque, sua casa vivia sempre cheia de parentes e amigos. Em época de moagem o sítio Queimadas ficava bastante animado, com a presença das pessoas das cidades circunvizinhas. Havia muito caldo de cana, rapadura, alfenim e cachaça para todo mundo. Era um período de grande animação naquele recôncavo sertanejo.

Na noite daquela penúltima sexta-feira do mês de Sant’Ana (23 de julho de 1965), Anselmo Correia de Siqueira faleceu, após lutar, sem sucesso e em resignado silêncio, contra o câncer de uretra.

Através do Projeto de Lei nº. 08/77, de 21 de outubro de 1977, assinado pelo vereador Inocêncio Nobelino Alves, o nome de Anselmo Correia de Siqueira batizou um dos logradouros públicos da terra que lhe serviu de berço. (por Milton Oliveira)

Fernando Pires

________________________________

Maria da Conceição Lopes da Silva <ceica_fsa@hotmail.com8121964lari>
Feira de Santana, BA Brasil - 8-Agosto-2015 / 6:46:11
Muito obrigada a todos pela solidariedade, pela ajuda, pelas orações, enfim por tudo.
Sem essa união, seria impossível realizar o sonho dessa criança.
Obrigada a todos e que Deus lhes abencoe...

Marly Lima Santos <Budegaodoavistao@hotmail.com.br>
Afogados da Ingazeira, PE Brasil - 7-Agosto-2015 / 9:52:39

Vídeo: Petrônio Pires

Um vídeo circulando nas redes sociais tem comovido a região: é o apelo de Maria José da Silva Cruz, que reside na zona rural de Afogados da Ingazeira, pedindo ajuda para a filha, Maria Vitória, nove anos, que sofre de Tetralogia de Fallot com agenesia pulmonar.
O problema é caracterizado pela diminuição de diâmetro do trato de saída do ventrículo direito. Pode ocorrer na valva pulmonar (estenose valvular) ou abaixo da valva pulmonar (estenose infundibular).
O grau de estenose varia nos indivíduos com a tetralogia de Fallot, e é o principal determinante dos sintomas e de sua severidade. Essa malformação também pode ser denominada de “estenose subpulmonar” ou “obstrução subpulmonar”.
O ventrículo direito tem mais músculo que o normal, causando uma aparência característica em forma de bota. Devido ao desarranjo do septo ventricular externo.
“Minha filha é estudiosa, sabida. Peço que me ajudem. Já andei por Petrolina, Recife, por todo canto e não encontrei tratamento para minha filha”, desabafa a mãe.
A indicação é cirúrgica e à medida que o tempo passa, as complicações dificultam o dia-a-dia da criança. A questão é de ação do governo, através do sistema SUS, que precisa encaminhá-la com urgência para centro de referência que faça esse tipo de cirurgia.

Quem puder ajudar, com qualquer valor, para as despesas de locomoção:

Banco do Brasil S.A. - Ag. 0570-3
Conta Poupança: 23.323-4 (variação 61)
Maria José da Silva Cruz (mãe)
Contato: 87-99643.7232 (Marly, tia da garotinha)

Petrônio Pires
Afogados da Ingazeira, PE Brasil - 6-Agosto-2015 / 12:52:35

Fernando Pires
Recife, PE Brasil - 5-Agosto-2015 / 11:52:58

Voluntários, dignidade para todos!

Por volta do século IV, um imperador romano estimulou a prática da “filantropia” como sendo uma das formas de ajudar as pessoas; era um gesto de caridade, já que esse termo de origem grega significava “amor à humanidade”. Um dos gestos mais nobres da filantropia é o voluntariado que observamos quando alguém oferece seus conhecimentos, seus serviços ou apenas sua experiência, exclusivamente, para contribuir com algo que traga benefícios a uma pessoa ou a várias pessoas, sem contudo receber nenhuma renumeração.

Grupos que apresentam situações de pobreza, fome, doenças, analfabetismo, desamparo familiar dentre outras, precisam sempre de ajuda e esse auxílio nem sempre é oferecido pelos poderes que deveriam amparar integralmente seus necessitados de acordo com nossa Constituição Federal.

Infelizmente, segundo o escritor e teatrólogo, Nelson Rodrigues, o brasileiro só é solidário na tragédia. Essa triste afirmação é ratificada pela Folha de São Paulo numa pesquisa onde apura que doações e serviços voluntários aparecem em sua grande maioria somente quando há catástrofes, como enchentes e secas do semiárido nordestino, porém para um comprometimento voluntário mais periódico essas forças e vontades se fragilizam misteriosamente.

Mesmo assim, lembramos o dono da Microsoft, Bill Gates, que é também um dos maiores filantrópicos e voluntários do mundo. Ele e sua esposa, Melinda Gates, já doaram mais de 30 bilhões de dólares para custear entidades pobres, principalmente as que cuidam de idosos e órgãos não governamentais que trabalham com pesquisas visando a erradicação de doenças nas populações mais carentes. Aqui em nossa querida Afogados da Ingazeira vale registrar o extraordinário empenho do Defensor Público, Dr. Luciano Bezerra, que numa corajosa e louvável ação voluntária convocou a população para contribuir com as obras da construção do Lar do Idoso, ainda com suas edificações em andamento.

É importante salientar que nenhum trabalho voluntário mede a grandeza do homem pelo tamanho da doação ou mesmo pela intensidade do seu envolvimento. A ação voluntária está em níveis de igualdade em todos os setores. Então, sejamos, pois, solidários com quaisquer movimentos ou projetos de voluntariados, inclusive nos alistando de corpo e alma, assim estaremos colaborando para que esse pequeno exército se multiplique gerando sonhos reais para milhares de pessoas que, muitas vezes, desejam apenas, o mínimo de dignidade humana.

Carlos Moura Gomes <carlosmouragomes@yahoo.com.br>
Afogados da Ingazeira, PE Brasil - 31-Julho-2015 / 17:08:50
Sua página é um espetáculo.
Parabéns

Luciano Campos Henriques <camposhenriques45@gmail.com>
João Pessoa, PB Brasil - 28-Julho-2015 / 20:48:05
Caro FERNANDO PIRES, a inserção musical na sua homepage, nos animou bastante, sob dois aspectos: a seleção dos intérpretes e a escolha dos compositores. Requisitos cativantes dos mais exigentes comentaristas do ramo. Até mesmo os cronistas, chegados a ácidas observações, tornam-se suaves e 'maneiros', ao ouvir uma composição bem elaborada, inspirando o caminho traçado pela 'alma' e o coração do Poeta. Este sabe arrumar as 'letras' de tal forma, que o rude homem, passa a entender melhor a História, a Filosofia, a Ciência como tal e aproximar-se de Deus. Deste ponto em diante, as luzes e a linguagem serão outras: saberá que, se ainda não tiver, buscará sua outra metade, a Mulher. Este ser, capaz das mais sublimes inspirações, supridas pelo amor.

Cabe ao varão saber escolher e amar. O poeta também conta, que se a escolha falhar, terá gerado a mais brutal das decepções.

Os compositores e letristas, também são poetas. Dentre estes, encontramos aqueles que compõem no pentagrama e na pauta. Juntando tudo, do clássico ao popular, manifestam-se tantas e variadas preferências, complicadas como uma molécula de glicose: só a Química Orgânica explica. A "química humana" nem passa por aí.

Com esse novo arranjo inserido na home, certamente, alguém vai demorar mais tempo diante da telinha e com isso, vai entender, o supremo valor de um Cartola, Nelson Cavaquinho, Capiba, Humberto Teixeira e Gonzagão, Paulo Diniz (cosmopolita), Tom Jobim, Vinícius, Villa-Lobos, Guerra Peixe, tudo isto, contando raso. Digo assim, porque esse 'mundão' musical do lado de cá, também nos leva ao mundo de lá, entrando por alinhadas veredas, até chegar às estradas largas dos clássicos europeus, respeitando sem esquecer, o mestre CATULO DA PAIXÃO CEARENSE. Poeta maranhense, que nos ensinou a contemplar o Luar do Sertão e quase morrer de saudade, por aqui, inibido pelo concreto, de ver o Luar nascendo por detrás da serra no Sertão.

Largo a página, por aqui, prometendo voltar, para falar de compositores que fizeram apologia a Mulher, como Mário Lago e Sadi Cabral, Adelino Moreira, Agustin Lara, Ernesto Lecuona, Juaquin Rodrigo.

José Batista do Nascimento <batista.inga@globo.com>
Recife , PE Brasil - 27-Julho-2015 / 15:17:38
Senhor Fernando, boa noite.

Eu sou descendente do senhor Joaquim Nazário de Souza e da senhora Maria Nazário, faço genealogia e não consigo encontrar informações sobre os pais ou irmãos deles. Procurando, encontrei informações preciosas e soube de um senhor chamado Joaquim Nazário de Azevedo ser neto dele, entretanto não consigo contato com esse senhor por redes sociais ou e-mail.

Percebo, lendo suas postagens em um site chamado Afogados da Ingazeira Ontem e Hoje, que o senhor sabe da história dos sítios Brotas e Riacho da Onça, o que me leva a crer que sabe informações sobre meus tetravós.

Para que entenda, eu sou a quinta geração deles, moro no interior da Bahia e eles são da linhagem por parte da minha mãe que é pernambucana de Belo Jardim.

Muito Obrigada e aguardo retorno
(23.07.2015 às 22h54)

________________________________
Liliane, enviei e-mail para Joaquim Nazário de Azevedo (que reside em Teresina -PI) e pedi que ele lesse sua mensagem. Certamente você terá novidades para a genealogia da família NAZÁRIO.

Liliane Moreira <limoreiraba@gmail.com>
Brasil - 24-Julho-2015 / 19:41:12

Faleceu ontem, em Afogados da Ingazeira, aos 57 anos, a professora Irenilda Nogueira Mariano.
O sepultamento será realizado nesta tarde, no cemitério São Judas Tadeu.

Fernando Pires
Recife, PE Brasil - 24-Julho-2015 / 11:09:53

Fernando Pires
Recife, PE Brasil - 22-Julho-2015 / 18:56:38

Fernando Pires
Afogados da Ingazeira, PE Brasil - 18-Julho-2015 / 7:13:02

Em defesa da natureza

Segundo as autoridades e estudiosos sobre meio ambiente, o trato inadequado do lixo, o desconhecimento da coleta seletiva, a ausência de educação sobre reciclagem, uso exagerado dos recursos naturais, poluição do ar, desmatamento, desperdício de água e esgotamento do solo são os principais problemas que comprometem a saúde do nosso lar comum que é a Terra.

Em 1997 na cidade de Kyoto, no Japão, era assinado um importante documento entre países industrializados para redução de gases na atmosfera. Enquanto oitenta e quatro nações se prontificaram a colaborar, os Estados Unidos do presidente Bush, negou-se a cumprir esse acordo numa clara demonstração que, infelizmente, na terra do líder negro, Martim Luther King, a ganância prevalece sobre a vida. Lembramos que a poluição destrói a camada de gás atmosférico que nos protege dos raios solares e em consequência, o número de câncer de pele e outras enfermidades aumentaram no mundo inteiro.

Para quem gosta de história em quadrinhos, a destruição da camada de ozônio lembra que, na época do antigo Império Romano, os intrépidos gauleses comandados por Asterix e Obelix enfrentavam com coragem os exércitos e todos os perigos, mas morriam de medo que o céu lhes caísse sobre a cabeça. A diferença entre a realidade atual e aquele mundo de ficção é que, realmente, nosso planetinha está na UTI com raras chances de sobrevivência. Um monge beneditino, numa conferência ecossistema, em 2005, afirmava que cada folha de árvore queimada é como uma célula de nosso próprio corpo destruída pela gangrena do capitalismo depredador.

Na mais recente, corajosa e lúcida Encíclica do Papa Francisco, Louvado Seja, ele lembra que, em 1971, Paulo VI já alertava sobre a degradação ecológica, infelizmente, provocada também pelo homem; citou João Paulo II quando em sua primeira manifestação como chefe da Igreja escreveu cobrando das autoridades governamentais mais empenho para salvaguardar as condições morais de uma autêntica ecologia humana. O carismático Padre argentino não esqueceu do seu antecessor, Bento XVI e registrou sua luta para corrigir os modelos de crescimento das nações que se dizem desenvolvidas, porém incapazes de garantir o respeito ao meio ambiente.

A professora da Universidade Estadual da Bahia, Cristina Vieira, em uma de suas palestras, através da internet, afirmava que não há mais dúvidas de que o interesse pelo meio ambiente não é modismo, ao contrário, se transformou numa necessidade de sobrevivência das espécies do planeta, portanto, não podemos ficar de fora. Todos nós, crianças, jovens, adultos e idosos temos que abraçar essa causa, alterando inclusive comportamentos e descobrindo novas formas para defender a natureza.

Preocupadamente,

Carlos de MouraGomes <carlosmouragomes@yahoo.com.br>
Afogados da Ingazeira, PE Brasil - 11-Julho-2015 / 17:16:55

Fernando Pires <fernandopires1@hotmail.com>
Recife, PE Brasil - 10-Julho-2015 / 14:40:33


Site muito bom

Baby Fonseca <baby.fonseca_@hotmail.com>
Patos, PB Brasil - 9-Julho-2015 / 20:37:03
Fernando, parabenizo esta sua página que muito recorda nossa terra do Pajeú e os bons tempos no Banco do Brasil.

jose adailton bezerra de souza <jadailtonb@globo.com>
Jaboatão dos Guararapes, PE Brasil, - 4-Julho-2015 / 9:32:32

Lurdinha Veras

Faleceu, ontem, mais uma nonagenária afogadense. Dona Lurdinha era filha do antigo grande comerciante de tecidos de Afogados da Ingazeira, Guardiato de Moraes Veras.
O óbito se deu na Casa de Saúde Dr. José Evóide de Moura. O corpo foi sepultado nesta sexta-feira 26, no cemitério São Judas Tadeu.

Fernando Pires
Recife, PE Brasil - 26-Junho-2015 / 13:17:40

"Um dia você aprende...

Depois de algum tempo você aprende a diferença, a sutil diferença entre dar a mão e acorrentar uma alma. E você aprende que amar não significa apoiar-se. E que companhia nem sempre significa segurança. Começa a aprender que beijos não são contratos e que presentes não são promessas. Começa a aceitar suas derrotas com a cabeça erguida e olhos adiante, com a graça de um adulto e não com a tristeza de uma criança. Aprende a construir todas as suas estradas no hoje, porque o terreno do amanhã é incerto demais para os planos, e o futuro tem o costume de cair em meio ao vão.

Depois de um tempo você aprende que o sol queima se ficar exposto por muito tempo. E aprende que, não importa o quanto você se importe, algumas pessoas simplesmente não se importam… E aceita que não importa quão boa seja uma pessoa, ela vai feri-lo de vez em quando e você precisa perdoá-la por isso.

Aprende que falar pode aliviar dores emocionais. Descobre que se leva anos para construir confiança e apenas segundos para destruí-la… E que você pode fazer coisas em um instante das quais se arrependerá pelo resto da vida. Aprende que verdadeiras amizades continuam a crescer mesmo a longas distâncias. E o que importa não é o que você tem na vida, mas quem você tem na vida. E que bons amigos são a família que nos permitiram escolher.

Aprende que não temos de mudar de amigos se compreendemos que os amigos mudam… Percebe que seu melhor amigo e você podem fazer qualquer coisa, ou nada, e terem bons momentos juntos. Descobre que as pessoas com quem você mais se importa na vida são tomadas de você muito depressa… por isso sempre devemos deixar as pessoas que amamos com palavras amorosas; pode ser a última vez que as vejamos.

Aprende que as circunstâncias e os ambientes têm influência sobre nós, mas nós somos responsáveis por nós mesmos. Começa a aprender que não se deve comparar com os outros, mas com o melhor que pode ser. Descobre que se leva muito tempo para se tornar a pessoa que quer ser, e que o tempo é curto. Aprende que não importa onde já chegou, mas para onde está indo… mas, se você não sabe para onde está indo, qualquer caminho serve.

Aprende que, ou você controla seus atos, ou eles o controlarão… e que ser flexível não significa ser fraco, ou não ter personalidade, pois não importa quão delicada e frágil seja uma situação, sempre existem, pelo menos, dois lados. Aprende que heróis são pessoas que fizeram o que era necessário fazer, enfrentando as consequências. Aprende que paciência requer muita prática. Descobre que algumas vezes a pessoa que você espera que o chute quando você cai é uma das poucas que o ajudam a levantar-se.

Aprende que maturidade tem mais a ver com os tipos de experiência que se teve e o que você aprendeu com elas do que com quantos aniversários você celebrou. Aprende que há mais dos seus pais em você do que você supunha. Aprende que nunca se deve dizer a uma criança que sonhos são bobagens… Poucas coisas são tão humilhantes e seria uma tragédia se ela acreditasse nisso. Aprende que quando está com raiva tem o direito de estar com raiva, mas isso não te dá o direito de ser cruel.

Descobre que só porque alguém não o ama do jeito que você quer que ame não significa que esse alguém não o ama com tudo o que pode, pois existem pessoas que nos amam, mas simplesmente não sabem como demonstrar ou viver isso. Aprende que nem sempre é suficiente ser perdoado por alguém… Algumas vezes você tem de aprender a perdoar a si mesmo. Aprende que com a mesma severidade com que julga, você será em algum momento condenado. Aprende que não importa em quantos pedaços seu coração foi partido, o mundo não pára para que você o conserte.

Aprende que o tempo não é algo que possa voltar. Portanto, plante seu jardim e decore sua alma, em vez de esperar que alguém lhe traga flores. E você aprende que realmente pode suportar… que realmente é forte, e que pode ir muito mais longe depois de pensar que não se pode mais. E que realmente a vida tem valor e que você tem valor diante da vida!

Nossas dúvidas são traidoras e nos fazem perder o bem que poderíamos conquistar se não fosse o medo de tentar."

(O Menestrel - William Shakespeare)

Fernando Pires <fernandopires1@hotmail.com>
Recife, PE Brasil - 23-Junho-2015 / 10:19:39
[Próximo]

Volta

Livro de Visitas desenvolvido pela Lemon Networks