AFOGADOS DA INGAZEIRA - MEMÓRIAS Guest Book

Caso você queira colocar seu registro, clique aqui!


 Registros de 321 a 360 do total de 5144 [Anterior] [Próximo]

Faleceu na madrugada desta segunda-feira 9, o Mestre Biu. [Conheça um pouco da sua biografia]

Fernando Pires
Recife, PE Brasil - 9-Dezembro-2013 / 9:41:20
Há 108 anos - 08.12.2013 - nascia o grande benfeitor de Afogados da Ingazeira... [Leia mais]

Fernando Pires
Recife, PE Brasil - 8-Dezembro-2013 / 12:01:03

Reféns da seca são reféns da morte e vida Severina
[do blog do Magno Martins]

Fascinado pela epopeia nordestina das “vidas severinas”, o bicho-grilo jornalista José Adalberto Ribeiro navegou nas folhas do livro “Reféns da seca” de Mister MM. “Comecei a navegar na capa, ao contemplar aquela velhinha agachada, sandálias havaianas/pernambucanas da humildade franciscana e da pobreza de Jó, feito uma filha de Gandhi sertaneja, com um olhar de quem já viu passar diante de si todas as penitências desta vida severina. Ela é filha da seca. Enteada da seca. A seca é madrasta.
“A seca é herege. A fome é herege. Esses personagens também desfilam na magistral epopeia nordestina da “Morte e vida Severina” de João Cabral de Melo Neto: “.... É a morte de que se morre/ de velhice antes dos trinta/ de fome um pouco por dia”. “Somos muitos Severinos/ iguais em tudo e na sina: a de abrandar estas pedras/ suando-se muito em cima/ a de tentar despertar/ terra sempre mais extinta,/ a de querer arrancar/ algum roçado da cinza”.
“Magno fez uma biografia não autorizada da seca. Entrevistou açudes, roçados, as pedras, as nuvens, os bodes, as cabras e os cabras sertanejos. Conversou com os passarinhos, os bichos do mato. A natureza fala no livro de Magno. Quem nunca conversou com a chuva não sabe o que é ser sertanejo. Quem nunca conversou com as noites de lua do Sertão não sabe o que é poesia.
“Noutras invernadas, o filho de Seu Gastão Cerquinha escreveu um livro chamado “O Nordeste que deu certo”. Naqueles idos entrevistou o gesso do Araripe, os melões e as uvas do São Francisco. Bateu um papo com os jeans da Sulanca. Navegou no polo de software de Campina Grande, na Paraíba. Reféns da seca” e “O Nordeste que deu certo” são dois mundos antagônicos. Entre esses dois Nordestes, quantas léguas tiranas!
“Agamenon Magalhães tinha a nostalgia dos espinhos do mandacaru. Seu Gastão Cerquinha revela o encanto das pedras sertanejas. Brasileiros, nordestinos e sertanejos somos todos irmãos, braços dados ou não, por parte dos “Reféns da seca”, neste vale de lágrimas e penitências sertanejas”. A íntegra do artigo está postada no Menu Opinião. Vamos navegar com o bicho-grilo Adalberto.

Fernando Pires
Recife, PE Brasil - 2-Dezembro-2013 / 12:13:26

Imagens constantes do DVD "Iconografia Histórica de Afogados da Ingazeira".
Aqui você verá as imagens rapidamente. No DVD elas têm um duração de, em média, 12 segundos para a sua agradável visualização, acompanhada pela belíssima trilha sonora de YANNI.

Fernando Pires
Recife, PE Brasil - 2-Dezembro-2013 / 11:38:35

Irresponsabilidade política e ineficiência dos serviços públicos

Dias atrás ouvi importante palestra de um cientista político sobre responsabilidade social da política. Lembrava com tristeza que “é perfeitamente compreensível e aceitável o manifesto de indignação do povo com certas feições que a política assume, por conta de atos descomprometidos com a verdade, a ética, a moral e o bem-estar do povo”.

Em outro momento observei no livro “Poderes e Deveres do Administrador Público”, um conceito sobre o Dever de Eficiência. “Elevado à categoria de Princípio Constitucional de Administração Pública, o dever de eficiência impõe que a atividade administrativa seja cada vez mais célere e técnica, ou seja, que se busque não só o aumento quantitativo, mas também qualitativo do papel desempenhado pelo Administrador Público. A busca contínua pela eficiência resulta, sem dúvida, em maiores benefícios à própria coletividade, daí por que constitui dever do administrador.”

É de fundamental importância que toda gestão municipal tenha um bem elaborado planejamento e que nas áreas de riscos, como é o caso da seca, se trabalhe priorizando a prevenção, evitando assim que fatos desagradáveis e prejudiciais aconteçam a seus habitantes.

A Adutora do Pajeú, obra para abastecimento d’água em diversos municípios de Pernambuco e que caminha a “passos de tartaruga”, ainda não está totalmente concluída. A Transposição do Rio São Francisco continua apenas no sonho dos sertanejos e nosso rico lençol freático aguarda decisões e vontades políticas para matar a sede de muitos “reféns da seca”. Hoje, muitas cidades do Sertão do Pajeú sofrem com a falta d’água ou com sua péssima e desorganizada distribuição. Ora, desde 1975, quando o então governador Eraldo Gueiros inaugurou a Barragem de Brotas, já alertava para a necessidade de se construir mais barragens e açudes, uma atitude que caberia aos futuros prefeitos e governadores.

Como filho dessa terra, convoco mulheres e homens desse valente e forte sertão a abraçar essa luta, cobrando das lideranças políticas e autoridades de nossa região, uma urgente resposta sobre essa comprovada irresponsabilidade social com a população.

“...se o povo calar, até as pedras clamarão”

Carlos Moura Gomes <carlosmouragomes@yahoo.com.br>
Afogados da Ingazeira, PE Brasil - 30-Novembro-2013 / 21:53:41

Álbum Iconográfico de Afogados da Ingazeira
Um show de Memórias!

Abrindo o Álbum, a expectativa era grande e não fui desapontado. Vi e revi velhos amigos dos tempos idos e alguns que nao conheci mas, no contexto, eram todos participantes do cenário afogadense em diversas épocas e diferente ocasiões.
Numa exuberante festa fotográfica de mais de 60 minutos, Fernando nos apresenta mais uma oportunidade de reviver datas e momentos memoráveis, bem como rever personagens que foram líderes da nossa sociedade sertaneja, ou simplesmente amigos e parentes que ja se foram mas que deixaram uma saudade que não sabemos definir.

A abertura apresenta as nossas raízes modestas mas laboriosas, construindo a Igreja que ficou sendo o marco central da nossa cidade. Não tínhamos recursos, mas a visão (do francês Pe. Carlos Cottart) de construir essa obra de arquitetura Gótica de beleza ímpar. Foi o espírito solidário que prevaleceu e a obra magestosa nos faz orgulhosos, pois sabemos que houve um esforço da população afogadense (que não era grande) mas respondeu ao chamado de várias maneiras.
Nos vários momentos em que fotos da Igreja são apresentadas no vídeo, nos faz sentir o momento vivido em cada uma delas, que nos emociona pela sua imponência.

Em seguida vem o prédio que chamávamos de “Sanatorio”, o qual, no período de sua existência recebeu diversos nomes, me tocou pessoalmente pois “ela me beijou e eu fiquei fisgado” num dos escritorios ali estabelecidos”
O Cruzeiro também foi um marco rústico simples que dava as boas vindas à entrada da cidade, e nos confortava como marco da cristandade. É lamentável que agora só exista nas fotos.

Revi o assentamento do calçamento, bem como a construção do Cine Pajeú de muitas boas lembrancas.
Vi, tambem, o desenvolvimento da cidade, bem como o seu embelezamento com o ajardinado bonito e os novos bairros.

O Fernando, afirmativamente, nos apresenta uma obra magnífica retratando a nossa cidade desde sua humilde origem, até o período mais moderno e mais belo com a transição das fotos em preto e branco para as coloridas dos dias atuais.
Devo dizer que a foto de 24 de abril de 2013 me impressionou bastante, pois apresenta a Catedral e, ao fundo, a Serra dos Pereiros , apresentando um cenário deslumbrante.

Parabéns, Fernando, e muito obrigado pelo maravilhoso “Show fotográfico” da nossa terra que é, sem dúvida, o melhor presente de Natal para este velha guarda.
Abraço, e ate breve.

Zeze Moura <jojephd@yahoo.com>
Rosemead, CA EUA - 29-Novembro-2013 / 19:16:03
Amigo/irmão Fernando, por conta da subida do Sport Clube do Recife para a série A, fiz essa homenagem aos torcedores Rubro Negros...

SPORT CLUB DO RECIFE
Ainda de ressaca, na manhã desse domingo (24/11), ao ver as manchetes dos principais jornais brasileiros, não pude conter a... [Leia mais]

Danizete Siqueira de Lima <danizete_siqueira@hotmail.com>
Recife, PE Brasil - 24-Novembro-2013 / 22:22:49
Fernando Pires
Recife, PE Brasil - 20-Novembro-2013 / 11:10:10
Afogados da Ingazeira, cidade maravilhosa, eu amo minha terra natal em Pernambuco.

Maria Alves Takeuchi <aishiteru-2013@hotmail.com>
Suzano, SP Brasil - 16-Novembro-2013 / 9:19:59

Fernando Pires
Afogados da Ingazeira, PE Brasil - 13-Novembro-2013 / 21:09:46
Fernando, meu amigo, faço minhas as suas palavras e sei tudo que acontece ai. Sinto muito por dona Tida. Fico revoltada, mesmo morando aqui tão distante. Queria poder fazer alguma coisa, mas infelizmente não posso.
De uma coisa tenho certeza, o que acontece ai não é normal em lugar algum, as pessoas têm medo de reclamar e os órgãos competentes não tomam providências... Por quê? Deve ter algum motivo para tanta bagunça.
A minha mãe mora nessa cidade que amo tanto, só que acho que se eu estivesse morando ai, com certeza iria brigar muito. Alguém precisa fazer alguma coisa, essa falta de respeito é inaceitável, chega a ser ridícula.
Conheci o prefeito atual que se mostrava uma pessoa idealista, inteligente e muito humana, achei que na gestão dele tudo isto acabaria, afinal o Prefeito é eleito para o bem da sua cidade e vejo que continua a mesma coisa .
Sinto muito, estou decepcionada com as coisa que fico sabendo de Afogados da Ingazeira.
Fico triste.

Fátima Marques Almeida <almeida.marques10@hotmail.com>
Paulinia, SP Brasil - 13-Novembro-2013 / 10:59:28


Caro Zezé Moura, a Asavap - Lar do Idoso, em Afogados da Ingazeira, já tomou conhecimento de mais uma generosa contribuição enviada.
Você é um afogadense que, mesmo estando distante da terra desde os anos 1950, não esquece dos seus conterrâneos, sobretudo os idosos.
Obrigado, Zezé Moura!

Fernando Pires
Afogados da Ingazeira, PE Brasil - 12-Novembro-2013 / 19:06:58
Perda de amigos...

Fiquei muito triste com a notícia que vi neste Mural falando sobre o falecimento do meu amigo Orestes e também do João, seu irmão. Éramos muito amigos, Depois me mudei daí e perdi o contato, porém sempre conservei o carinho que tinha por eles.
Nunca esqueci amigos e amigas que conquistei aí.
Sinto muito!

Fátima Marques Almeida <almeida.marques10@hotmail.com>
Paulinia, SP Brasil - 12-Novembro-2013 / 14:56:55
Acidente entre motos

O Polícial Militar, Pedro Vieira (Peduca), 47 anos, vítima do acidente ocorrido ontem na Av. Rio Branco, faleceu no Hospital da Restauração, no Recife.
O corpo será transladado para Afogados da Ingazeira, onde será velado. O sepultamento acontecerá em Ingazeira, sua cidade natal.

Fernando Pires
Afogados da Ingazeira, PE Brasil - 12-Novembro-2013 / 9:15:00
O desabafo do senhor Fernando Pires, foi notícia aqui no Rio Grande do Norte.
[Leia...]

Paula Fernanda Fernandes <pfsjvjn@hotmail.com>
Natal, RN Brasil - 11-Novembro-2013 / 22:19:47
Acidente entre motos

Agora há pouco, duas motos se chocaram na Rio Branco, em frente ao Sindicato dos Trabalhadores Rurais, aqui em Afogados da Ingazeira. Os envolvidos foram um policial militar e uma senhora que teve alguns arranhões.
O cabo da polícia militar ficou estendido na pista e em 15 minutos o Corpo de Bombeiros realizou o atendimento. Não se sabe, ainda, o estado de saúde da vítima.

Fernando Pires
Afogados da Ingazeira, PE Brasil - 11-Novembro-2013 / 15:45:10

Grande Ademar,
Caso o nosso poeta e amigo Quincas Rafael estivesse vivo e fosse visitar Brotas, iria dizer mais ou menos o seguinte:

Foi uma das atrações
Do meu Pajeú outrora
Mas o seu estado agora
Chega a cortar corações
Os seus 26 milhões
De metros cúbicos, é verdade
Serviram à nossa cidade
Como a toda região
E hoje parece um cacimbão
Retratando a crueldade .

Danizete Siqueira de Lima <danizete_siqueira@hotmail.com>
Recife, PE Brasil - 10-Novembro-2013 / 10:42:23

A Lei do Silêncio -

Fernado, alguém daí já formalizou uma notícia-crime a respeito desses fatos frequentemente comentados por você? O texto a seguir é uma transcrição. Não sei quem é o autor. É apenas uma sugestão.
"A Notitia Criminis (stricto sensu) é a comunicação que a vítima faz da infração penal que sofreu. Nesse caso, a própria vítima se dirige à autoridade policial, com a finalidade de informar que foi vítima de uma determinada infração penal.
Vale lembrar, que a infração penal é um gênero, que comporta duas espécies distintas: crimes e contravenções.
- A Delatio Criminis é a comunicação efetuada por qualquer um do povo. Obviamente, ela só será possível nos crimes de ação penal pública, uma vez que os crimes de ação penal privada dizem respeito à própria vítima e nada poderá ser feito sem a sua autorização. - O que o Delegado de Polícia faz acerca da Delatio Criminis?
Ele instaura a VPI (Verificação de Procedência de Informação). Daí, ele vai ao local, busca informações, investiga as redondezas, conversa com possíveis testemunhas, faz operações na região, tudo com a finalidade de verificar se as informações são procedentes ou não.
O que é considerado inconstitucional é a prisão para investigação. Porém, a VPI é totalmente constitucional. Ela está representada pelas pastas brancas na Delegacia de Polícia (as pastas vermelhas são os autos de prisão em flagrante e as pastas brancas são as VPI’s). Se a informação da Delatio Criminis era procedente, o Delegado de Polícia vai instaurar o inquérito policial. Porém, se a informação era improcedente ou inconclusiva, o Delegado de Polícia vai acautelar aqueles dados, guardando-os por período indeterminado.
- O disque-denúncia é uma forma de Delatio Criminis Anônima, também chamada de Delatio Criminis Inqualificada (pois não há a qualificação daquele que a forneceu)."

Tadeu Góes <jt.goes@bol.com.br>
Recife, PE Brasil - 10-Novembro-2013 / 9:37:41

Não me calarei!

Para comemorar aniversário de um bar, na Av. Rio Branco, a música (ruído) rolou desde as 19h de ontem (sábado 9) até a 1h da manhã deste domingo. Mas, os notívagos frequentadores permaneceram cantando e conversando em voz alta até as 4h30. Dizemos isso, pois não conseguimos conciliar o sono com essa movimentação madrugada adentro.

Certamente os proprietário tiveram autorização da Prefeitura e do Ministério Público para assim proceder. Já bati inúmeras vezes nessa mesma tecla, mas não me canso, pois certamente uma grande maioria desse logradouro não comunga com essa atitude e autorização, no mínimo irresponsável, pois afeta diretamente os idosos e as famílias que querem e têm o direito ao repouso e ao respeito.

Proximamente a Av. Rio Branco será palco de “encontro de motociclistas”, o “famigerado arerê”, “carnaval”, e certamente “aniversários” de mais bares que proliferam em nossa antes tão pacata e séria cidade. Essa gente “perdeu” a noção de Direito e Respeito, em nome de interesses particulares e do Medo!

A minha indignação é sobretudo em nome da saúde da minha mãe, senhora de 87 anos e que carrega consigo a doença de Parkinson que a torna dependente de tudo o que se possa imaginar. Ela não dá um passo sequer sem o nosso apoio. Para se virar no seu leito é necessário que o façamos. Para comer, temos que colocar a comida na sua boca. Para andar – com sofrimento - nós, os filhos, a carregamos. Por vezes tem que ser em cadeira de rodas, pois o Parkinson é “perverso”. Para ir ao banheiro, só com duas pessoas, pois o seu corpo se torna muito pesado. Para tomar banho, e todo o seu asseio, necessita de um filho... Durante à noite, nos levantamos várias vezes para atender suas necessidades fisiológicas.

Essa é a vida da minha mãe que, por mais que seja sofrida, queremos que seja digna , até quando Deus permitir que ela esteja no nosso meio. Nós a abraçamos e as autoridades a massacram.

Ocorre que a visão míope das autoridades não enxergam isso. Preferem atender os anseios da população que quer diversão, mesmo que seja em um ambiente impróprio para tal. É muito bom sair de suas residências em outros logradouros da cidade e se deslocar para a Av. Rio Branco se divertir. A sua mãezinha e seus familiares certamente ficarão dormindo tranquilamente. A Rio Branco e o seu entorno são logradouros que têm muitos idosos que querem viver - mesmo sofridos -, em paz.

Eu não consigo mais cumprimentar nem apertar a mão de antigos “amigos” que hoje apoiam essa agressão a quem quer apenas sobreviver com dignidade. Certamente muitos já perceberam que a amizade não mais existe. E jamais voltará a ser como antes, pois é o mesmo que açoitar a minha mãe e os idosos e famílias que residem na área afetada.

Estejam certos de que isso não é um ponto final!

Fernando Pires
Afogados da Ingazeira, PE Brasil - 10-Novembro-2013 / 6:51:35

Brotas

Quando Quincas Rafael escreveu esse verso, jamais ele ou alguém sonharia com as cenas abaixo registradas em fotos:
Em doze foi projetada
O Padre Arruda forçou
Eraldo desencantou
A esse reino encantado
Hoje existe no mercado
Desde tomate ao caju
Se nadar o cururu
Chega até a Vaca Morta
SÓ BROTAS MESMO SUPORTA
AS FÚRIAS DO PAJEÚ

Ademar Rafael Ferreira <aherasa@ig.com.br>
Marabá, PA Brasil - 9-Novembro-2013 / 22:58:07
No 1º dia deste mês de novembro fui ao bairro São Francisco, aqui em Afogados da Ingazeira, adquirir flores para colocar no túmulo de familiares. Vendo aquele senhorzinho no local, indaguei-o sobre sua origem. Ele - que está prestes a completar 90 anos no dia 3 de maio de 2014 - me disse que nasceu em Caruaru e lida com Flores desde os 7 anos de idade.
Perguntei-o qual a razão de vir para Afogados da Ingazeira. Disse-me: "Aos 50 anos - em 1974 - ouvi uma pessoa dizer que todo pobre que fosse para o Sertão, em pouco tempo ficaria milionário. Mas, fui enganado!".
Mesmo não conseguindo lograr êxito com a empreitada, permaneceu na cidade vendendo flores, e já se passaram quase 40 anos. O senhor Antônio José da Silva (foto) é muito simpático e mantém uma conversa agradável. A sua esposa está com 88 anos de idade.

Fernando Pires
Afogados da Ingazeira, PE Brasil - 9-Novembro-2013 / 8:31:10

¨O Sonho Fotografado”

Embevecido e entusiasmado tomei conhecimento da oportuna e feliz matéria. Como filho dessa terra sofrida - mas que tem recebido o apoio dos homens de boa vontade -, não poderia, neste momento, deixar de escrever o pouco do que o coração sente e o cérebro registra e manipula com racionalidade.
Prezado articulista, com todo o respeito e admiração, transmito-lhe os meus parabéns e registro o compromisso inequívoco de palmilhar junto essa estrada que há de ser coroada de êxito para o bem de todos nós.
Essa obra há de ser um oásis num deserto que clama por amenidade, faz muito tempo.

Carlos Fernandes Viana Alves <cviana07@gmail.com>
Brasília, DF Brasil - 7-Novembro-2013 / 16:55:23



O Sonho Fotografado - O Fernando Pires me liga e pergunta: Viu a foto? Abri o mural e vi a foto. Mas esta foto vem com um filme que está gravado na mente e me impulsiona a seguir em frente, pois sei que centenas, no início, e já milhares, acredito, deram um pouco de si para que fosse possível, neste momento contemplarmos esta foto. A FOTO DO SONHO. A foto da generosidade, do desprendimento de todos aqueles que continuam acreditando no nosso propósito. Já é possível se vislumbrar um futuro mais próximo, quando nossos irmãos longevos terão um lar digno, acomodações arejadas, higiênicas, espaço para lazer e para suas caminhadas, mesmo que claudicantes pelo peso da idade.

Esta foto é dedicada aos nossos colaboradores, que continuam mês a mês enviando sua quantia para somarmos esforços e tocarmos em frente nossa empreitada.

E para que você entenda melhor, vamos delinear as próximas etapas. A primeira é concluir a laje, pois ainda faltam 182 metros quadrados, como você pode observar na foto. Depois disso, a próxima etapa é a instalação hidráulica, lembrando que teremos 17 (dezessete) banheiros. A terceira etapa será o piso que, por exigências técnicas terá que ser feito com o material conhecido por granito, pois segundo os especialistas, evita a aglomeração de bactérias e facilita a higienização.

Diante dessas etapas, não é difícil deduzir que precisamos continuar apelando para a sensibilidade de todos para que não fiquemos pelo caminho. Isso nunca. Acredito nos homens e mulheres de boa vontade e sei que não estaremos sós.

A emoção me impede de continuar, mas não precisa dizer tanto. A foto diz mais que mil palavras. O sonho está aí, e ele também é seu.
A realidade virá em breve... acreditemos e veremos.

Luciano Bezerra
Afogados da Ingazeira, PE Brasil - 6-Novembro-2013 / 20:22:03
Meu pai, Jose Amâncio de Brito, nasceu em Afogados da Ingazeira, mas, foi para São Paulo, acredito que há uns 70 anos. Ele sempre sonhou em retornar à sua terra, mas não pôde realizar o seu sonho em vida. Eu gostaria de encontrar algum parente dele: sobrinhos, primos... para poder conhecer e realizar o sonho do meu pai, mesmo que somente agora, após a sua morte.
O meu avô, que morreu por causa de ¨briga de jogo¨ se chamava João Amâncio de Brito e minha avó Ana Maria da Conceição.
Agradeço a quem puder me ajudar nessa busca.

Beatriz Fernandes de Brito <beatriz_fernandes@r7.com>
Rio de Janeiro, RJ Brasil - 5-Novembro-2013 / 15:37:06
Fernando Pires, concordo com você. A cidade que já foi exemplo de convivência, respeito, humanidade, transforma-se num campo onde impera o desrespeito, o mau gosto, a sujeira, o lixo sufocando as pessoas.
Saramago dizia que estamos voltando à idade da pedra lascada. Se não temos a capacidade do convívio social, estamos fadados a desaparecer. Aquilo que eles chamam de música, reflete tão somente uma mente coletiva cuja capacidade de pensar se esvai a cada segundo.
Será que somos uma sociedade ou um bando? [Daniel E. Ferreira, no Facebook]

Daniel FerreiraE, no Facebook
Recife, PE Brasil - 3-Novembro-2013 / 17:06:43
Vamos nos unir para transformar essa Rodoviária de Afogados da Ingazeira, pois, todas vezes que vou aí tenho que me deslocar para outro lugar para pegar a Passagem de Passe Livre. Como ela não tem passagem para Deficiente, não tem infraestrutura para receber visitante idoso.
Essa é uma linda cidade e muito acolhedora, mas tem que ser vista pelos políticos por ser uma original cidade do Nordeste. Por favor, nos ajude a mudar isso, amigos de Afogados da Ingazeira

Joel dos Santos <adecons27@yahoo.com.br>
Samambaia, DF Brasil - 3-Novembro-2013 / 13:58:33

Em Afogados da Ingazeira existem Leis, mas...
pra quê, se não existem fiscalização e o seu cumprimento?


A Avenida Rio Branco, entre tantos outros logradouros, foi invadida por bares que desde a quarta-feira, até altas horas da noite do domingo, incomodam, muito, as famílias que lá residem com conversas de seus frequentadores em alta voz e sons de seus autos. Respeito aqueles moradores que não se incomodam por não terem em suas casas pessoas idosas e doentes, mas, nós, que os temos, queremos, também, respeito para os nossos direitos.

Não bastasse essa baderna, também as motos em alta velocidade, e os automóveis abusam com ruídos ensurdecedores. Repito, isso até ALTAS HORAS DA NOITE!

E, no dia a dia, os carros de som abusam no volume, e na condução dos seus autos, em baixa velocidade – quase parando – e no meio da pista, sem dar espaço para que o trânsito flua com regularidade.

A promotora, Dra. Ana Clézia, deixa saudades!

Fernando Pires
Afogados da Ingazeira, PE Brasil - 3-Novembro-2013 / 10:53:05

Fernando Pires
Afogados da Ingazeira, PE Brasil - 1-Novembro-2013 / 20:37:03
"O sertanejo é antes de tudo um forte"
(Euclides da Cunha - Os Sertões)

Tem se tornado voz corrente entre meus conterrâneos dizer, escrever e repetir essa famosa sentença. Serve para tudo, de unha encravada a queda de rede, entretanto, acredito que a maioria que assim procede nunca se deu ao trabalho de ler a obra euclidiana por completo ao menos uma vez na vida, há até quem cite a frase com alterações, já li em alguns lugares: "O nordestino é antes de tudo um forte" como se todo nordestino fosse sertanejo ou vice versa.
Quando faz a famosa frase, Euclides acrescenta na descrição do tipo sertanejo: "Não tem o raquitismo exaustivo dos mestiços neurastênicos do litoral. A sua aparência, entretanto, ao primeiro lance de vista, revela o contrário. Falta-lhe a plástica impecável, o desempeno, a estrutura corretíssima das organizações atléticas. É desgracioso, desengonçado, torto. Hércules-Quasímodo, reflete no aspecto a fealdade típica dos fracos. O andar sem firmeza, sem aprumo, quase gingante e sinuoso, aparenta a translação de membros desarticulados. Agrava-o a postura normalmente abatida, num manifestar de displicência que lhe dá um caráter de humildade deprimente. Reflete a preguiça invencível, a atonia muscular perene, em tudo: na palavra remorada, no gesto contrafeito, no andar desaprumado, na cadência langorosa das modinhas, na tendência constante à imobilidade e à quietude.
Entretanto, toda esta aparência de cansaço ilude. Nada é mais surpreendedor do que vê-la desaparecer de improviso. Naquela organização combalida operam-se, em segundos, transmutações completas. Basta o aparecimento de qualquer incidente exigindo-lhe o desencadear das energias adormecidas. O homem transfigura-se. Empertiga-se, estadeando novos relevos, novas linhas na estatura e no gesto; e a cabeça firmasse-lhe, alta, sobre os ombros possantes aclarada pelo olhar desassombrado e forte; e corrigem-se lhe, prestes, numa descarga nervosa instantânea, todos os efeitos do relaxamento habitual dos órgãos; e da figura vulgar do tabaréu canhestro reponta, inesperadamente, o aspecto dominador de um titã acobreado e potente, num desdobramento surpreendente de força e agilidade extraordinárias."
De minha parte, entendo que Euclides estava se referindo direta e especificamente aos sertanejos de Canudos, seguidores do Conselheiro que tiveram a coragem e o denodo de enfrentar a repressão da recém instalada república, até a cena final onde restaram apenas dois combatentes, a saber, um menino de oito anos e o jagunço/beato Pajeú, diante dos quais trovejavam os canhões, fuzis e clavinotes de cinco mil soldados.
Cerradas essas páginas heroicas, tenho comigo a convicção de que Euclides ao ver o modo como se comporta o sertanejo de hoje, como se deixa levar pelas classes dominantes, sem reação alguma, alteraria a sentença: O sertanejo é antes de tudo um besta!

Gilberto Carvalho Moura <carvalhomouraadvogados@gmail.com>
Curitiba, PR Brasil - 1-Novembro-2013 / 17:05:27
Há não somente uma falta de compromisso com desassoreamento, mas também com políticas de conscientização de preservação no consumo da água na nossa cidade, região.
Afogados cresceu, portanto o consumo de água também. Ainda mais agravante, somos de uma região de poucas chuvas!
Apelo pela consciência no uso da água. (Lorena Honorato, no Facebook)

Fernando Pires
Afogados da Ingazeira, PE Brasil - 1-Novembro-2013 / 13:26:00


Fernando Pires
Afogados da Ingazeira, PE Brasil - 31-Outubro-2013 / 22:46:53

Brotas...

Isso é o que resta da Barragem de Brotas que desde o distante 1911 foi o sonho dos afogadenses e da gente do Pajeú. Os gestores não sabiam (?) que não bastava construir, mas conservá-la ¨saudável¨; Não só sugar, mas preservar a ¨vida¨ com o desassoreamento periódico, que NUNCA foi realizado.
Simplesmente se esqueceram (?) disso... Eis o resultado!
Certamente se tivessem lido a ¨Cartilha¨, teríamos ainda água à disposição nesse reservatório. Brotas teria sobrevida...
Pela minha crença nessa gente, tudo voltará a ser como dantes, quando essa fase passar... Não tem jeito, mesmo!

Fernando Pires
Afogados da Ingazeira, PE Brasil - 31-Outubro-2013 / 21:48:14
Amo Afogados da Ingazeira. Considero-me Afogadense, mesmo sendo de Natal-RN.

Glória Medeiros <facebookGlóriamedeiros@outlook.com>
Afogados da Ingazeira, PE Brasil - 31-Outubro-2013 / 12:07:24
Nosso documentário LUA NOVA DO PENAR será exibido em evento internacional a ser realizado em 28/29 de novembro pela Comissão Estadual da Memória e da Verdade Dom Hélder Câmara. Exibido no “Sábado Resistente”, do Museu da Resistência, em São Paulo, dia 5 deste mês, foi muito aplaudido por personalidades e representantes de entidades que combateram a ditadura.
Também será exibido em seção especial no auditório Tancredo Neves, Ministério da Justiça, dia 10 de dezembro, em agenda comemorativa ao Dia Internacional dos Direitos Humanos. Há honrosas solicitações para apresentação em Natal (RN) e Tabira (PE).

LUA NOVA DO PENAR faz parte da seleção oficial dos festivais internacionais de Mumbai e Nova Deli, na Índia, e do II Ionian International Digital Film Festival, em Lefkas, na Grécia .
Neste último, foi agraciado com o prêmio de melhor documentário.
O objetivo desta postagem é dividir nossa alegria e nosso orgulho pelo resultado deste trabalho e, ao mesmo tempo, convidar os amigos do Recife a conhecê-lo no dia 14 de novembro, às 18h45, no auditório da Unicap, durante o VII Colóquio de História.
Gratos

Leila e Sidnei <sliberal@uol.com.br>
Recife, PE Brasil - 30-Outubro-2013 / 15:15:33
Fernando, faleceu nesta madrugada, (segunda-feira 28), na cidade do Recife, LÚCIA MOREIRA DE BRITO, esposa de Willams Brito, filho de Dona Celeste e Seu José Lopes de Brito. O sepultamento está previsto para essa terça-feira, dia 29 em Afogados da Ingazeira, PE.

Graça Brandão, no Facebook
Maceió, AL Brasil - 28-Outubro-2013 / 22:44:20
Aos familiares de Orestes Neves, nosso amigo (Orestinho), os nossos sinceros votos de pesar. Que Deus conforte os que ficam e lhe reserve um lugar à Sua direita.

Danizete Siqueira de Lima e família <danizete_siqueira@hotmail.com>
Recife, PE Brasil - 28-Outubro-2013 / 11:35:13

Orestes Neves Nunes Machado
*
† 25.10.2013

Faleceu na última sexta-feira 25, em Serra Talhada, após sofrer ¨Enfarte¨ enquanto almoçava em restaurante naquela cidade, nosso conterrâneo Orestinho, filho do casal Hilda e Machado (em memória), antigos funcionários dos Correios. Ele deixa viúva (Ivani Veras) e filhos. Em fevereiro deste ano falecia, em Arcoverde, João Batista, irmão caçula de Orestinho.
Aos familiares, nossos sentimentos.

Fernando Pires
Recife, PE Brasil - 27-Outubro-2013 / 9:23:33
Missa de Sétimo Dia

Ana Maria e Vanderlei comunicam que a missa de sétimo dia da morte de Adalgisa Leite Januário, será domingo 27 às 10h, na Paróquia São Judas, no Marcos Freire, bairro dos Pimentas, Guarulhos-SP.

Antonio Freitas <ffamilia.freitas@ig.com.br>
Guarulhos , SP Brasil - 26-Outubro-2013 / 15:44:42


Está disponível, em DVD, o Álbum Iconográfico de Afogados da Ingazeira, com 274 imagens, entre fotos de Ontem (188), de Hoje (44), e de 42 Personagens da História da terra de Mons. Alfredo de Arruda Câmara. Infelizmente, por falta de fotografias, deixamos de incluir muitos afogadenses que de alguma forma fizeram parte da história da nossa cidade. Em alguns casos, até por falta de interesse de familiares. Mas...

Para quem deseja ter essas imagens em DVD (1h04) para ver em Full HD WideScreen (16:9), em equipamento com conexão HDMI (Blu-Ray), acompanhado de belíssima trilha sonora, nos seus televisores – melhor em aparelhos de 40 polegadas ou superiores -, segue instruções:

Para entrega no BRASIL, efetuar depósito de R$ 15,00 no Banco do Brasil, agência 8633-9, c/c 5.472.595-X

Para o EXTERIOR, sugiro entrar em contato com algum parente e pedir para ele ser intermediário: adquirir e enviar. Nessa condição, a pessoa deverá informar qual o país, para que eu entregue um DVD gravado com o código daquela região. Na América do Sul, o código é 4...

Após esse procedimento, enviar e-mail para - fernandopires1@hotmail.com -, informando:

Número da Agência:
Data do depósito:
e Endereço Completo:

Confirmarei o recebimento de cada e-mail. Assim, o DVD será enviado pelos Correios em até 7 dias, podendo ser encaminhado até no mesmo dia da confirmação.

Estarei ausente do Recife por alguns dias, mas levarei alguns DVDs para atender aos primeiros pedidos confirmados.

Fernando Pires
Recife, PE Brasil - 26-Outubro-2013 / 11:28:38

Iconografia Histórica de Afogados da Ingazeira

Quis um dia o destino que eu pisasse as terras Sertanejas, me banhasse no Pajeú e fincasse raízes no solo afogadense. A boa nova me fora apresentada. Plantei uma árvore, constitui família, tive filhos, desenvolvi atividades, divulguei seu nome e, por isso, me arvorei no direito de ser mais um filho adotivo dos Afogados da Ingazeira.

Dizer do meu amor por essa terra é para mim imperioso, é motivo de satisfação, de gratidão pelos dias lá vividos, assim como também o é tecer comentário sobre um seu outro filho, o abnegado defensor de seus valores, o escritor e pesquisador Fernando Pires, eterno enamorado da terra que o viu nascer.

Não satisfeito com a obra literária que já produziu, ressaltando sua gente, dizendo de sua origem, desenvolvimento e progresso de seu torrão natal, desta feita, interpretando os anseios de seu povo, num trabalho incansável de pesquisa, ele nos presenteia, no melhor de seu estilo, com uma magnífica iconografia histórica, reunindo fotos de sua Afogados, desde seus primórdios, catalogadas e agora apresentadas com o maior carinho, para deleite e orgulho de seus conterrâneos, induzindo-os à nostálgica busca de suas lembranças.

Encampando a filosofia do cancioneiro popular quando diz: “aquilo que os olhos não veem o coração não sente”, revelando-se não um visionário, mas um observador atento, Fernando oferece-nos a oportunidade de, através do olhar, sentirmos bater mais fortes e alegres nossos corações, pois, colando em nossas mentes imagens de ruas (por onde andamos), de casas (que foram nossos lares), de gente (que nos abraçaram), ele nos faz recordar de tempos felizes.

Nesta reconstituição, para mim, verdadeiro romance, ele, remontando ao ano 1910, paulatinamente, década após década e até os dias atuais (2013), nos relata através de imagens belíssimas e até comoventes a história do município.

A Catedral, o Cine Pajeú em obras. O Rio Pajeú transbordando. O Coreto reinando em berço esplêndido. O Colégio Normal de portas abertas formando gerações. Enfim, quem não há de se emocionar com tamanhas lembranças?

Agradecemos ao autor por tão extraordinária obra, por essa incontestável manifestação literária, e parabéns pela figura humana ímpar que ele tem se revelado.

Célio Pereira da Silva
Olinda, PE Brasil - 26-Outubro-2013 / 10:20:47
[Anterior] [Próximo]

Volta

Livro de Visitas desenvolvido pela Lemon Networks