AFOGADOS DA INGAZEIRA - MEMÓRIAS Guest Book

Caso você queira colocar seu registro, clique aqui!


 Registros de 4261 a 4290 do total de 5016 [Anterior] [Próximo]

Um conjunto habitacional entregue a 223 famílias neste mês de março é exibida nacionalmente pela Caixa Econômica Federal - uma das parceiras da obra - como modelo de gestão. "Este programa, além de moradia, gera renda e formação profissional, pois foram os próprios beneficiários que construíram os imóveis. Muitos, inclusive, mulheres qie aprenderam os ofícios de pedreiro, carpinteiro, eletricista e outras atividades da construção civil", explica o prefeito Totonho Valadares. Outro detalhe é que as famílias contempladas foram selecionadas por uma comissão composta por membros do governo municipal, Câmara de Vereadores, sindicato dos trabalhadores rurais, Igrejas Evangélicas, Igreja Católica, Ministério Público e poder judiciário.

Uma das entradas da cidade recebeu uma nova ponte e adquiriu a possibilidade de tráfego duplo.

PREFEITURA TEM PREPARADO CIDADE PARA INVESTIMENTOS

O governo do estado vem reforçando o compromisso com o que chama de interiorização do desenvolvimento. Afogados da Ingazeira está preparada para receber ações?

Temos louvado esta iniciativa do governo do estado por vir a unir-se a nós na causa da geração de emprego e renda. Durante o Fórum Pernambuco da Gente, por exemplo, entregamos ao secretário de Desenvolvimento Econômico, Fernando Bezerra Coelho, um projeto que vai dar dimensão ao nosso pólo moveleiro. É um projeto avaliado em cerca de R$ 1 milhão e que visa o fortalecimento da rede produtiva. Pretendemos dar a mesma atenção ao pólo metal mecânico e a outros setores. Além disso, estamos estruturando a cidade urbanisticamente e promovendo a produção rural com a Expoagro.

O município está preparado para enfrentar um dos grandes desafios, que é a falta de mão-de-obra qualificada?

Este é um desafio comum ao interior e aos grandes centros, mas começamos a superá-lo. A partir deste ano teremos a instalação de uma escola técnica federal. Em março, inauguramos nosso centro tecnológico, com capacidade para formar 200 pessoas a cada seis meses em tecnologia da informação, e breve concluiremos a escola de habitação, que vai formar profissionais da construção civil.

O fórum alertou para uma necessária interação entre governos e sociedade. Isto acontece em Afogados?

Grande parte do nosso sucesso administrativo deve-se ao nosso plano de governo ter sido elaborado com o envolvimento de representações sociais. Isto nos deu a segurança de atuar em consonância com a comunidade e de acordo com as necessidades e prioridades do município. Numa análise recente identificamos que nossas ações figuram também como prioridades apontadas pelo Fórum de Políticas Públicas de Afogados da Ingazeira, que um centro de discussão formado por vários conselhos urbanos e rurais.

RECEBER ALUNOS E EXPORTAR PROFESSORES É O LEMA DA DIREÇÃO DA FACULDADE

Receber alunos e exportar professores. Essa se tornou o lema da direção da Faculdade de Formação de Professores de Afogados da Ingazeira. A unidade de ensino foi instalada há 17 anos, funciona como autarquia municipal e hoje conta com cerca de 550 alunos divididos entre os cursos de Letras, Ciências, História, Matemática e Pedagogia. Anualmente, em torno de 300 profissionais são postos no mercado. Ao contrariar o dito de que não há espaço para tantos profissionais, a diretora pedagógica da unidade, Adalva Siqueira, garante que não há sobras quando há qualificação.

Matriz de Afogados da Ingazeira está entre as atrações que o município oferce aos visitantes "Além das redes públicas, temos uma considerável rede privada que absorve muitos professores. Muitos de nossos alunos, ao concluírem, buscam outros centros, tanto vizinhos quanto distantes, a exemplo de Brasília, tida como valorizadora da categoria e que virou destino para muitos", defende a gestora. "Outro bom sinal é que muitos são aprovados em concursos públicos, às vezes, até antes mesmo de se formarem".

A autarquia mantém uma escola de aplicação e oferece cursos de pós-graduação em língua portuguesa, literatura, matemática, história e biologia. Conta com 18 salas de aula, auditório e laboratórios de línguas, de informática e sala de teleconferência, além de corpo docente com mestres e doutores. Atende cerca de 20 municípios, envolvendo toda a região e municípios da Paraíba. Em 2002, a autarquia recebeu o Prêmio Expressão Educação, concedido pelo Diario de Pernambuco e Sindicato das Instituições de Ensino Superior do Estado de Pernambuco.

DEPOIMENTOS

"Sinto orgulho por ser natural e poder residir e exercer minha atividade em Afogados da Ingazeira. Vejo aqui a cada momento uma nova prova de que o município desponta como centro de investimentos, com qualidade e diversificação."
Anchieta Mascena, empresário do setor de transportes e serviços

"Vivemos um bom momento para o campo em Afogados da Ingazeira com a sensibilidade demonstrada pelos governos e, principalmente, com o envolvimento dos produtores rurais. Este quadro reforça nossa esperança no desenvolvimento com igualdade e justiça."
Vilsomary Marques, presidente do Sindicato dos Trabalhadores Rurais

"É característica em Afogados a determinação de sua gente, dos pequenos investidores e do empresariado em louvar a cidade. Sente-se que além dos próprios negócios há um desejo pelo crescimento de todos e da cidade".
Jailma Alcântara, presidente da Câmara de Dirigentes Lojistas

"Afogados dispõe de mão-de-obra qualificada e de um terreno fértil para a produção moveleira. Com a concretização dos apoios recebidos vamos elevar indefinidamente nosso potencial e consequentemente a qualidade de vida do município".
Rubson Almeida, presidente da Associação do Pólo Moveleiro

"Viver em Afogados da Ingazeira é um dos maiores privilégios. Quem conhece o valor do nosso povo não deixa de admirá-lo. Temos um pólo comercial, industrial e educacional de grande potencial, além da religiosidade e do alto nível cultural de uma gente para lá de feliz".
Anchieta Santos, radialista

"Afogados da Ingazeira demonstra um potencial empreendedor muito grande. É forte em sua gente a determinação, a autoconfiança e o alcance de resultados, símbolos do verdadeiro DNA sertanejo. Digo que a prosperidade não é só usufruída, mas antes ela é construída."
Eraldo Feijó, diretor executivo da Cooperativa de Energia e Desenvolvimento do Alto Sertão do Pajeú

Transcrito de Diário de Pernambuco

Fernando Pires
Recife, PE Brasil - 29-Maio-2009 / 8:15:41
Marcos Porróia

Em 1999 Afogados ficou sem um dos seus filhos mais queridos: Marcos de Zé Coió, ou Marcos Porróia, para nós.

Escrever sobre Marcos é muito fácil. Quando jovem não quis um curso superior, pois sabia que Deus havia lhe dado talento suficiente para prescindir diplomas. Meia-esquerda brilhante, formou ao lado do saudoso Alex um meio de campo fenomenal no Santa Cruz de Ninô. Ainda no futebol nos deu, em conjunto com Arnaldo, Batista, Murilo, nosso inesquecível Dinga e Dinda, o Guarabira, único time que foi capaz de vencer o Barcelona. Ali Marcos impediu muitos gols que ele tanto sabia fazer, foi um dos maiores goleiros da história de Afogados.

Com seu sorriso franco e carisma peculiar mudou-se para Princesa Isabel-PB, após o casamento. Para lá levava, sempre que pedia, seus amigos. Ali destacou-se como empresário e vaqueiro, na terra de Zé Pereira e Arismar; foi vitorioso em várias vaquejadas.

Tudo que ele fazia colocava muito amor e garra. Nunca vi Marcos reclamar de ninguém; se era para fazer algo ele tomava a frente e com sua liderança realizava da melhor maneira.

A morte de Mário tirou muito do brilho de seu olhar, mas jamais desistiu de qualquer coisa; foi um vitorioso com sua próprias pernas. Todas as vezes que precisei de Marcos para qualquer coisa ele atendia no ato. Era seu jeito.

Fica o legado para que os jovens de nossa terra lutem por seus objetivos como Marcos fez. Deixou-nos em busca da felicidade com Maísa, e, na Paraíba, sempre dava guarida a quem fosse do Pajeú de por ali passasse. Muitas vezes ficamos perto do que gostamos e não realizamos nada em pró dos nossos e de nós mesmos.

Marcos sempre procurou ir além, que o diga os goleiros que ele fez ir buscar o bola no fundo da rede, pois, a potência do seu chute não dava tempo para ver o bola.

[Esta crônica foi escrita em janeiro 2000.]

Ademar Rafael Ferreira <aherasa@ig.com.br>
Marabá, PA Brasil - 26-Maio-2009 / 8:55:32
Luciano, assino abaixo do seu relato sobre Cancão. Tive a felicidade de conviver com ele, muitas vezes fui à sua casa e em todas as oportunidades ficava a pensar: Como uma pessoa com esta SIMPLICIDADE PURA podia transportar tanta poesia.

Sua obra é plural por agradar ao mais exigente crítico e singular por conter um estilo único.
Viva o pajeú.

Ademar Rafael Ferreira <aherasa@ig.com.br>
Marabá, PA Brasil - 26-Maio-2009 / 8:34:12
CANCÃO: A AVE QUE CANTA A ÁRVORE

Hoje aproveito o acesso que tenho a este espaço de informação e cultura e pretendo reverenciar um dos gênios da poesia que grassa no nosso sertão e, principalmente, o “Olimpo” das barrancas do Pajeú – São José do Egito - como definia o Professor José Rabelo.

Trazemos aos apologistas, uma das páginas mais bonitas do incomensurável João Batista de Siqueira - Cancão. Eu sempre e toda vez que lia ou ouvia qualquer poesia de Canção, sentia-me levado a compará-lo ou a incluí-lo entre os gênios: Gonçalves Dias, Castro Alves e Augusto dos Anjos.

Ao ter acesso ao Livro do Ilustrado - Lindoaldo Vieira Campos Junior - que elaborou uma coletânea das várias fases de Cancão, sob o título: “Palavras ao Plenilúnio”, percebi que as minhas conjecturas sobre Cancão não eram infundadas. Ele, Cancão, é bem maior que se possa imaginar. E o professor Lindoaldo Vieira, falando sobre o poeta, diz:
“Assim, embora não se pretenda filiar o Vate Egipciense a qualquer escola literária, poder-se-ia ousar dizer que sua obra se ajustaria a uma espécie de - impressionismo - tendo em mira que é sedimentada na pormenorização plástica dos elementos naturais, em que ressai a vivacidade de cores fortes e nítidas, que glorificam a variedade e a exuberância de minudências da Natureza”(...)

Leia todo o texto, clicando no link abaixo.

Luciano Bezerra - IP 189.81.155.253 <lucianocamposbezerra@hotmail.com>
Afogados da Ingazeira, PE Brasil - 25-Maio-2009 / 19:33:38
SANFONEIROS SE REÚNEM NO SERTÃO

Uma oficina de zabumba, a primeira a ser realizada no interior do Estado, será uma das principais atrações da vigésima edição do Festival Regional da Sanfona (Fersan). O evento está marcado para o período que compreende os dias 29 e 31, em Afogados da Ingazeira, no Sertão pernambucano, distante 380 quilômetros do Recife.

A oficina, que acontece no auditório da Secretaria de Educação, será ministrada pelo zabumbeiro recifense Raminho. Ele é filho do sanfoneiro Arlindo dos Oito Baixos.

Realizado pelo Grupo Frente Jovem (GFJ), o festival reúne sanfoneiros de toda a Região do Pajeú e de cidades vizinhas da Paraíba. “O festival é uma vitrine para os sanfoneiros, nesta época do ano, devido à proximidade dos festejos juninos”, destaca o organizador Augusto Martins. “Depois das apresentações, a maioria deles já desce do palco com apresentações garantidas no São João”.

ATRAÇÕES

Outra grande atração do evento será o sanfoneiro Isaías Amaral de Souza, o Isaías Pacote, que completa 100 anos no próximo mês de dezembro e fará uma participação especial.

O tocador, que chegou a se apresentar várias vezes com o Rei do Baião, Luiz Gonzaga, é reverenciado em toda a região como um símbolo da cultura popular ainda em atuação, apesar da idade avançada.

Mais outras duas novidades estão reservadas para a edição deste ano. A primeira é a projeção de um documentário sobre sanfona, na quinta-feira, dia 28, às 20h, no Cine São José.

A outra é uma exposição sobre sanfonas antigas, garimpadas junto a conhecidos sanfoneiros da região. A amostra poderá ser vista durante os três dias do evento, na Avenida Rio Branco, local da festa.

O XX Fersan está inserido nas comemorações do centenário de Afogados da Ingazeira e dos cinquenta anos da Rádio Pajeú AM.

O homenageado desta edição será o sanfoneiro José Domingos Mendes, conhecido artisticamente como Zé de Dão. Falecido recentemente, o tocador foi premiado diversas vezes no concurso.

O festival premiará em dinheiro e troféus do primeiro ao terceiro lugares nas categorias melhor sanfoneiro, melhor música própria com letra e melhor música instrumental e melhor intérprete.

Toda noite, após as disputas, haverá shows artísticos, a partir das 23h, obedecendo a seguinte programação: dia 29, Arlindo dos Oito Baixos, dia 30, Bira Marcolino e Lindomar e Quarteto Forrozado, dia 31, Delmiro Barros.

Sanfoneiros de outras regiões do país também poderão participar do concurso. As inscrições, de acordo com os organizadores, podem ser feitas pelo telefone (87)9998.1282.

Sebastião Araújo Especial para o Jornal do Commercio

Fernando Pires
Recife, PE Brasil - 24-Maio-2009 / 16:00:22
Caro Luciano, nesta manhã de domingo, ao ligar o computador, li atentamente essa homenagem / declaração de amizade à minha pessoa.

Tudo foi como se um filme estivesse passando na minha mente. Você amaciou o meu ego. E como amaciou!...

Obrigado por me manter entre os seus amigos. Pra você só tenho a dizer: A recíproca é verdadeira!

Fernando Pires
Recife, PE Brasil - 24-Maio-2009 / 8:27:01
AMIZADE É COMO ROUPA, SE DESBOTAR NÃO PRESTA.

Não vai muito longe o tempo em que se escolhia o tecido, ou o pano, como queira, dentre aqueles que menos desbotavam. A preferência recaía sobre aquele pano que mantivesse a calça ou a camisa com suas cores sempre vivas, durante anos seguidos de uso. Com o surgimento das calças jeans, e aqui lembramos as desejadas - calças Lee - esse conceito mudou por completo. Agora se dá preferência exatamente aos tecidos com aparência de surrados, envelhecidos. Estão aí os “lindos trapos” da - DIESEL - que são o sonho de consumo e que alcançam preços estratosféricos.

Já a amizade, esta não. A amizade deve ser mantida viva, brilhante, viçosa por toda a vida. Amizade que desbota, não serve para ser tida como tal. O verdadeiro amigo é aquele que faz falta, até mesmo na mais breve das ausências.

E a amizade não se sabe como surge. Ela não se faz, já nasce feita. O amigo é aquele que se revela, por inteiro, no mais inesperado dos momentos. Quando você se sente diminuto, impotente, eis que alguém lhe oferece o ombro, pensa com você, sofre junto e, não raramente, aponta para você a solução que estava diante de seus olhos e sua mente turvada não lhe deixava vislumbrar. Esta é apenas uma das facetas do verdadeiro amigo. Aliás, o amigo de fé, não lhe aplaude gratuitamente, só por aplaudir. Isto é próprio dos bajuladores. O amigo verdadeiro, não hesita em apontar seu erro, em até lhe repreender se for o caso(...)

Leia mais no link abaixo.

LUCIANO BEZERRA - IP 189.81.138.14 <lucianocamposbezerra@hotmail.com>
Afogados da Ingazeira, PE Brasil - 24-Maio-2009 / 3:46:42

SAUDADE!

Neste 22 de maio Gislaine, minha amiga, companheira e esposa, completaria 50 anos. Nossos planos estavam traçados para serem bem vividos, como foi durante os trinta anos em que estivemos juntos de corpo e alma.

Mas, agora só resta a saudade! Saudade do corpo, porque a alma, o espírito estão tão presentes que posso até tocá-la, senti-la, conversar, mesmo em fiéis pensamentos. São sonhos gratificantes! Porém, não podemos esconder que, às vezes, a saudade vem como uma tempestade. Machuca, fere, arde e dói, principalmente quando essa saudade é de uma pessoa amada que partiu, prematuramente, para outra dimensão.

...Só sente saudade quem teve na vida momentos de felicidades.

Carlos Moura Gomes
carlosmouragomes@yahoo.com.br>

Fernando Pires
Recife, PE Brasil - 22-Maio-2009 / 17:59:03
Com orgulho sou filho dessa terra, nasci e vivi 47 anos nela, q saudades sinto de ti terra mãe, que saudades dos amigos que se foram e dos que ainda existem la, espero quem sabe um dia te visitar ou mesmo aí meus ultimos dias de vida terminar .

Edilson Gomes de Melo - IP 200.161.153.50 <ekip-car@hotmail.com>
Santos, SP Brasil - 22-Maio-2009 / 13:17:02
Não pode faltar...(NA FESTA DO CENTENÁRIO DE AFOGADOS DA INGAZEIRA)

Na festa do centenário / Não podem faltar as poesias
E o canto de feliz aniversário / Na viola de Sebastião Dias

Não falte também o imaginário / Do poeta Dió em primazias
Com seu parceiro adversário / Tirando uns versos nas cantorias

Não falte o João Paraibano / Que é assim de verso Açú
Ele é um poeta sobre-humano / Que enobrece o pajeú

[Leia mais, a partir do link abaixo]

Hélio Ferreira
Recife, PE Brasil - 22-Maio-2009 / 12:53:44
Na celebração do Centenário de Afogados da Ingazeira, em 1º de julho de 2009, o Tribunal de Justiça de Pernambuco realizará uma Sessão Ordinária da Segunda Câmara Cível na cidade


AVISO CONVOCAÇÃO de Sessão Ordinária da 2ª Câmara Cível para o dia 01/07/2009, com deslocamento da mesma do salão do 1º andar-anexo deste Tribunal para a sede da Câmara Municipal de Afogados da Ingazeira, situada na Rua Dr. Roberto Nogueira Lima, nº 236, Centro, Afogados da Ingazeira/PE.

O Desembargador Alberto Nogueira Virgínio, Presidente da Segunda Câmara Cível do Tribunal de Justiça de Pernambuco, no uso de suas atribuições legais,

CONSIDERANDO a conveniência de interiorização dos serviços jurisdicionais do segundo grau, nos termos do artigo 1º da EC n° 45, que deu nova redação ao §7º do Art. 125 da CF/88, a permitir maior aproximação do Tribunal de Justiça do Estado junto aos jurisdicionados do interior;
CONSIDERANDO a necessidade de maior visibilidade do trabalho jurisdicional da superior instância perante as comunidades interioranas, destinatárias da prestação da justiça;
CONSIDERANDO a oportunidade de celebração do centenário da cidade de Afogados da Ingazeira, sede de circunscrição judiciária com nove comarcas e dezessete municípios; e
CONSIDERANDO a presença, naquela cidade, dos Poderes Executivo e Legislativo Estaduais, representados, respectivamente, pelo Governador do Estado, Dr. Eduardo Henrique Accioly Campos e o Juiz de Direito aposentado, Dr. Guilherme Uchoa, Deputado Presidente da Assembléia Legislativa, no desempenho de suas atribuições,

RESOLVE:
1. Realizar a Sessão Ordinária da Segunda Câmara Cível, em 01 de julho do corrente ano, uma quarta-feira, pelas 14:00 horas, na Comarca de Afogados da Ingazeira, Estado de Pernambuco, para julgamento dos feitos em pauta, referente a recursos oriundos da mencionada circunscrição judiciária e das Comarcas que a abrangem;
2. Definir o local da Sessão no auditório da Câmara Municipal de Afogados da Ingazeira, situada na Rua Dr. Roberto Nogueira Lima, nº 236, Centro, Afogados da Ingazeira/PE;
3. Determinar a publicação da pauta de julgamento, com os feitos específicos, para ciência das partes e seus respectivos advogados, observadas as cautelas legais e de praxe;
4. Dar conhecimento aos Eminentes Desembargadores Adalberto de Oliveira Melo e Cândido José da Fonte Saraiva de Moraes, bem assim a Sua Excelência o Desembargador Jones de Figueiredo Alves, Eminente Presidente do TJPE, sobre a presente iniciativa, com envio de expediente para as providências de apoio operacional.

Cumpra-se. Publique-se.

Recife, 20 de maio de 2009.

ALBERTO NOGUEIRA VIRGÍNIO
Desembargador Presidente

Fernando Pires
Recife, PE Brasil - 22-Maio-2009 / 11:35:19
RÁDIO PAJEÚ

Radiante é sua programação
Alegre, descontraída, informativa
Diariamente educando a população
Inaugurada nos anos 50
Ostenta orgulho para todos afogadenses

Parabéns pelo seu cinquentenário
Acorda a população sempre às 5 da manhã com o Rádio Vivo
Jovens locutores fazem a diferença
Elevou a cidade de Afogados da Ingazeira para o mundo
Usando sempre a verdade como seu lema

Serra Talhada, 22/05/09 – 5:10 Marcelo Martins - Boiba

Marcelo Martins - IP 189.70.105.254 <marceloboiba@hotmail.com>
Serra Talhada, PE Brasil - 22-Maio-2009 / 6:37:21
OMISSÃO/DESCASO COM O MEIO AMBIENTE NATURAL ( a subdivisão do que integra o solo, a água, o ar atmosférico, a flora e a fauna)

Em dezembro de 2008, algumas árvores que existiam ao redor da Cúria Diocesana em Afogados da Ingazeira, foram derrubadas por qual razão não sabemos.

Acredito que foi pedida autorização ao Poder Municipal para tal atitude, mas, acredito, também, que esse mesmo Poder deva ter exigido o replantio das árvores.

Rogamos ao responsável pela sua derrubada que tome as providências que requerem o bom senso, pois essas árvores, para ficarem do mesmo tamanho em que estavam, demoram, no mínimo, 4 anos.

[Essa foto da calçada, onde se localizavam as árvores, foi tirada em 08.05.2009, quase 5 meses após a sua extirpação. Essa mesma situação se vê em todo o lado esquerdo do prédio histórico].

Fernando Pires
Recife, PE Brasil - 21-Maio-2009 / 23:11:22
CENTENÁRIO DE EMANCIPAÇÃO POLÍTICA DO MUNICÍPIO - DESCASOS E OMISSÕES

Este ano de 2009 ficará marcado na história de Afogados da Ingazeira e tem tudo para ser uma página de ouro nos seus anais. A Rádio Pajeú completa meio século de serviços prestados a toda essa região. Na efeméride abaixo, temos o destaque para a chegada de D. Mota, como primeiro bispo da diocese.

A expectativa vai-se avolumando com o passar dos dias que antecedem a data de emancipação de Afogados da Ingazeira, há um século passado. Na proporção inversa, todavia, aumenta a nossa preocupação para certos detalhes que devem ser corrigidos, pois sem essas providências, ficará ofuscado o brilho da festa do primeiro século de nossa cidade.

Comecemos por abordar o descaso do Governo Municipal para com os bairros: COHAB, SÃO BRÁS E SOBREIRA.

Não é de hoje que reclamamos, em nome daquele povo, a colocação das placas que denominam as ruas naqueles bairros (...)

Leia mais, clicando no link abaixo.

Luciano Bezerra - IP 189.81.207.85 <lucianocamposbezerra@hotmail.com>
Afogados da Ingazeira, PE Brasil - 21-Maio-2009 / 19:45:23
Há 52 anos recebíamos, em nossa Afogados da Ingazeira, o Primeiro Bispo da sua Diocese; e, em 26 de maio, o jornal "Era Nova", de Pesqueira, edição nº 124, trazia uma matéria sobre a sua posse.

"Já no dia 18 de maio de 1957, se achava a cidade engalanada e repleta de visitantes ilustres, dignitários Eclesiástico e grande massa popular com várias representações das paróquias que integram a nova diocese, notando-se a presença de Dom Ricardo Vilela.

Pelas 17 horas, na Avenida Rio Branco, foram organizadas as filas de recepção e cerca de 130 índios, aqui chegados da serra do Ororubá abriam alas, vestidos ao seu modo característico, seguindo-se os educandários de um lado a outro do passeio público, na seguinte ordem: Ginásio Monsenhor Pinto de Campos, Escola Normal Rural, Instituto Pio X, todos de Afogados da Ingazeira; Escola Normal e Ginásio Cônego Torres, da cidade de Serra Talhada e uma representação da Escola Normal de Princesa Isabel.

Na Estação da Rede Ferroviária do Nordeste, chegou o trem especial trazendo o senhor Bispo de Afogados da Ingazeira, Dom João José da Mota e Albuquerque, o Sr. Núncio Apostólico Dom Armando Lombardi e o secretário da Nunciatura, Monsenhor Mário Peressin e vários bispos e autoridades, pessoas gradas e comitivas do Recife, Caruaru, Sanharó, Pesqueira, Sertânia e Iguaracy (...)

[Foto: à esquerda o padre Antonio de Pádua Santos e, à direita, dom Mota]

Leia mais, clicando no link abaixo.

Dom João José da Mota e Albuquerque
Afogados da Ingazeira, PE Brasil - 21-Maio-2009 / 15:32:43
SAUDADE!

No dia 22 de maio Gislaine, minha amiga, companheira e esposa, completaria 50 anos. Nossos planos estavam traçados para serem bem vividos, como foi durante os trinta anos em que estivemos juntos de corpo e alma.

Mas, agora só resta a saudade! Saudade do corpo, porque a alma, o espírito está tão presentes que posso até tocá-la, senti-la, conversar, mesmo em fiéis pensamentos. São sonhos gratificantes! Porém, não podemos esconder que, às vezes, a saudade vem como uma tempestade. Machuca, fere, arde e dói, principalmente quando essa saudade é de uma pessoa amada que partiu, prematuramente, para outra dimensão.

“Tem horas que dá um vazio enorme no peito, uma vontade louca de chorar. Tem horas que nos vemos com os olhos no vazio imenso do nada... Certamente, é a alma, que sem saber recorrer a quem, chora, desesperada, a ausência de alguém que ela não consegue tirar do pensamento!...”

...Só sente saudade quem teve na vida momentos de felicidades.

Carlos Moura Gomes - IP 201.45.104.4 <carlosmouragomes@yahoo.com.br>
Gravatá, PE Brasil - 20-Maio-2009 / 11:48:07
O CÓDIGO PENAL NO BANCO DOS RÉUS

A comunidade jurídico-científica, os operadores do direito da área criminal vêm, insistentemente, debatendo o fato de que a sociedade, de há muito, reclama a necessidade de um novo Código Penal. A reivindicação é procedente, haja vista, convivermos com um Diploma punitivo anacrônico - que já não reflete a realidade social para a qual se dirige.

Para quem não tem afinidade com o assunto, façamos um rápido retrospecto histórico sobre o Código Penal, e assim, ficará mais clara e justificada a idéia de que o Código Penal é obsoleto.

Vamos, pois, à história: Desde 1500 até 1830, no Brasil vigoravam as normas emanadas das Ordenações do Reino de Portugal. Nesse interregno, ou seja, por volta de 1603 - as Ordenações Filipinas, em seu Livro V - instaurou o que se podia chamar, a grosso modo, o primeiro Código Penal implantado no Brasil. Neste Código embrionário, devemos destacar que a - PENA DE MORTE - era a tônica mais acentuada. Várias eram as formas de se executar a PENA DE MORTE (...)

Leia mais, clicando no link abaixo.

CRÔNICAS - Luciano Bezerra - IP 189.81.150.3 <lucianocamposbezerra@hotmail.cp,>
Afogados da Ingazeira, PE Brasil - 20-Maio-2009 / 5:51:28
CULTO DE FALECIMENTO - Robson, Guilherme e Felipe convidam parentes e amigos para um Culto a ser realizado às 20h desta terça-feira, 19 de maio, na Igreja da Comunidade Cristã do Clube Líbano, na Rua Antonio de Góes, Pina, Recife, em Memória de Maria Raquel Pires.

MISSA DE SÉTIMO DIA - Em AFOGADOS DA INGAZEIRA, nesta terça-feira, 19 de maio, às 19h na Catedral do Senhor Bom Jesus dos Remédios, por JOSELI e RAQUEL

As famílias enlutadas agradecem antecipadamente aos familiares e amigos a este ato de solidariedade cristã.

Fernando Pires
Recife, PE Brasil - 19-Maio-2009 / 12:00:26
Quando BOÍBA falou que tinha brincado na infância, na época de Sao João, fiquei a pensar se também nao conheci a Raquel, embora muito jovem à epoca, e saímos para Recife, mas a infância fica gravada na nossa memória.

A saudosa Raquel que agora está ao lado do PAI ETERNO, deixa-nos saudades.

Aos familiares, que DEUS dê conforto e força para superar esta perda tão de repente de uma pessoa que pela foto tinha muitos projetos pela frente.

Mas nossas vidas estão nas mãos de DEUS. ELE somente ELE sabe a hora que vai chamar os seus filhos pecadores deste mundão.

Paz a todos e firme nas promessas do SENHOR.

Manoel Antonio Martins de Moura - IP 189.70.226.224 <martinsmoura@hotmail.com>
Recife, PE Brasil - 19-Maio-2009 / 11:16:44
Caro Dr. Luciano, saudando-o pelo Dia do Defensor Público, gostaria de destacar um aspecto que considero importante: Se Pernambuco conta com Defensoria Pública, ainda que com as deficiências que o senhor enumera, mesmo assim, para os desvalidos da Justiça é um avanço considerável.

Não sei dizer da estrutura da Defensoria Pública em todo o Brasil, mas posso lhe assegurar que São Paulo e Paraná NÃO contam com esse recurso tão necessário aos mais pobres. Em São Paulo funciona um convênio com a OAB que sorteia as causas mais complexas com advogados inscritos no programa de advocacia dativa, por honorários irrisórios, e as mais simples são atendidas pelas estudantes de 4º e 5º das faculdades, sob orientação.
No Paraná a OAB não interfere, são os próprios profissionais que se inscrevem nas varas, estaduais e federais como dativos, existindo também os serviços gratuitos prestados por estudantes.

Em suma, nossa Justiça além de cega ficou surda. Numa cidade como Curitiba existem apenas 4 varas de familia.
Abraços!

Gilberto Carvalho Moura - IP 189.115.87.51 <gcmouraadv@yahoo.com.br>
Curitiba, PR Brasil - 19-Maio-2009 / 8:51:17
Neste 19 de maio de 2009 comemora-se o Dia do Defensor Público.

A Defensoria Pública consolidou-se com o advento da Constituição de 1988, mais precisamente no seu art. 134, que assim dispõe: “A Defensoria Pública é instituição essencial à função jurisdicional do Estado, incumbindo-lhe a orientação jurídica e a defesa, em todos os graus, dos necessitados, na forma do art. 5.º, LXXIV”

Pelo próprio conceito que deu o legislador, pode-se perceber quão importante é a Defensoria Pública para o exercício da cidadania, das pessoas desprovidas de recursos financeiros, no Estado de Direito. Mas a Defensoria Pública, em nosso Estado, não surgiu de imediato, ou seja, logo após sua criação pela Carta Magna. Passaram-se dez anos, até que no final do Governo do saudoso Miguel Arraes foi implantado o embrião da Defensoria Pública. E aqui, por uma questão de Justiça, deve-se salientar que o vetor principal do surgimento da Defensoria Pública em Pernambuco, foi o então Deputado Federal e, hoje, Governador do Estado, Eduardo Campos.

Hoje Pernambuco tem instalada a " DEFENSORIA PÚBLICA" com vários núcleos que abrangem de Olinda até Petrolina (...)

Leia mais, clicando no link abaixo.

Cronicas - Luciano Bezerra - IP 189.81.122.34 <lucianocamposbezerra@hotmail.cp,>
Afogados da Ingazeira, PE Brasil - 18-Maio-2009 / 22:31:00
ÀS ESCURAS -

Várias ruas de Afogados da Ingazeira estão às escuras desde o último fim de semana. Ruas importantes como Augusto Cerquinha, Professor Vera Cruz e Aparício Veras, em pleno centro tem vários ou todos os postes apagados.

Quando reclamam, moradores alegam que depois da instalação da cobrança da CIP - Contribuição Sobre Iluminação Pública - o número de postes apagados bem como a falta de atenção das equipes de prontidão da Celpe só aumentaram e cobram também do poder executivo uma pressão maior para que a empresa tenha mais respeito pelos usuários.

Procurado pela produção do Programa Manhã Total, o Prefeito Totonho Valadares, disse que só se pronunciaria após um posicionamento da Celpe, mas adiantou que o que cabe ao executivo é a iluminação de praças - como a Arruda Câmara - e trechos como o Sistema Viário. Só que a cobrança que recai sobre ele - presidente do CIMPAJEÚ - e outros gestores, é de que pressionem a Celpe via ARPE e AMUPE para que preste melhor serviço.

Um funcionário da Celpe informou que esta semana haverá uma espécie de mutirão da empresa para buscar resolver o problema. Outra fonte garante que após a privatização a empresa reduziu o número de funcionários que prestam este serviço.

Para que se tenha uma idéia, a comunidade de Lagedo ficou 10 dias sem energia elétrica. E o problema não é exclusivo de Afogados. Em Carnaíba, são comuns as quedas de energia elétrica.

O professor Luciano Gomes disse ter ligado mais de uma vez para os números de prontidão da Celpe e ter esperado vários minutos ouvindo uma gravação da empresa sem que nenhuma atendente ouvisse seu reclame. Procurou o Posto Celpe (Barão de Lucena) e foi informado de que ele não é habilitado para receber essas reclamações, exclusivas pelo 0800 da empresa (aquele que ninguém atende). Luciano chamou a atenção para a necessidade de pressão dos gestores e para uma melhor atuação da ARPE/Governo do Estado ajudando a pressionar a empresa.

Do www.nilljunior.com.br

Fernando Pires
Recife, PE Brasil - 18-Maio-2009 / 10:41:59
MISSA DE SÉTIMO DIA - nesta segunda-feira, 18 de maio, às 18h na Igreja Nossa Senhora de Fátima, na Praça Chora Menino, Manoel Borba, no Recife, será celebrada missa por Joseli Gomes Torres, pela passagem do 7º dia do seu falecimento.

_____________

E em AFOGADOS DA INGAZEIRA, na terça-feira, 19 de maio, às 19h na Catedral do Senhor Bom Jesus dos Remédios, por JOSELI e RAQUEL.

As famílias enlutadas agradecem a presença dos familiares e amigos.

Fernando Pires
Recife, PE Brasil - 18-Maio-2009 / 7:40:06
Caro Fernando: Bastante ilustrativo o relato do conterrâneo Joaquim Nazário de Azevêdo sobre a energia elétrica em Afogados. Só discordo quanto à troca do nome da rua. Acho que a Senador Paulo Guerra deveria voltar a se chamar Rua 13 de Maio. O senador e o Pereira bem poderiam ser homenageados em ruas ainda sem nome. Aproveito para voltar ao assunto da rua que hoje se chama "João da Cruz" para reafirmar que ela já foi "Professor Vera Cruz".

Gilberto Carvalho Moura - IP 189.115.87.51 <gcmouraadv@yahoo.com.br>
Curitiba, PR Brasil - 17-Maio-2009 / 14:46:07
A HISTÓRIA DA ENERGIA ELÉTRICA DE AFOGADOS DA INGAZEIRA

Os ingleses são pioneiros na utilização da força do vapor da água através de “caldeira”. Em 1830 foi inaugurada a primeira locomotiva a vapor, ligando as cidades inglesas Liverpool e Manchester. Antes existiam outras estradas de ferro na Inglaterra, mas os trens eram tracionados por cavalos. Provavelmente a unidade de trabalho cv (cavalo vapor) teve origem nesse fato. No Brasil, a primeira estrada de ferro surgiu 1858 e as locomotivas eram movidas através de caldeiras. Na década de 50 a estrada de ferro chegou a cidade de Afogados da Ingazeira e as locomotivas ainda eram movidas a caldeiras. Posteriormente surgiram as locomotivas movidas a óleo diesel.

Na década de 40 conheci um afogadense chamado Severino Pereira Pires, que produzia e fornecia energia elétrica à cidade de Afogados da Ingazeira utilizando o sistema termoelétrica (caldeira). A matéria prima para produção de energia elétrica era madeira. Meu pai, Delmiro Nazário de Sousa, era um dos fornecedores de lenha para ser queimada na caldeira. Tinha o compromisso de enviar por semana dois carros de boi carregados de lenha. Os senhores Manoel Virgínio e Zé Mendonça eram os funcionários do sistema de produção de energia elétrica(...)

Continue a leitura, clicando no link abaixo.

Joaquim Nazário de Azevêdo <nazariodeazevedo@yahoo.com.br>
Teresina, PI Brasil - 17-Maio-2009 / 13:27:12
Fernando Pires: Penso que só Afogados da Ingazeira tem um trabalho dessa grandeza, parabéns!!!

LUIZ WILSON ALVES MONTEIRO - IP 189.70.20.219 <contato@palavrasdosertao.com.br>
Salgueiro, PE Brasil - 17-Maio-2009 / 8:48:11
Nossos agradecimentos ao Poeta Professor Wilson Monteiro (foto) [www.palavrasdosertao.com.br] que nos enviou sua bela poesia em homenagem ao Centenário da nossa Afogados da Ingazeira.


Dos filhos de afogados num pé de ingazeira
Nasceu um município fortalecido na fé
Sendo retrato neste Sertão
De trabalho, amor e devoção
Fazendo agora 100 anos
Afogados da Ingazeira é homenageado pelas águas
e pelas plantas da caatinga
pelo Sol que nos ilumina e pela noite
onde as estrelas declamam mais de cem, talvez mil poemas
para os Filhos de Afogados da Ingazeira
que não só moram neste chão.

Aos que foram para outras terras
Ou que transmigraram para outras vidas
O inesquecível abraço desse bravo povo
Aos que trabalharam e honraram dias de glória
Centenário é a prova da fé
Da devoção a esse torrão
Que é um dos mais belos na aridez desta terra
De heróis grandes e pequenos que escrevem juntos a história
do Pajeú ao São Francisco
Do Sertão Central ao Agreste
Que transborda no Cais
A história desse povo Que é flor
que também sente dor
Já não estamos mortos num pé de ingazeira
Somos povo, somos fé
Temos identidade
Num rosto alegre ou triste
Centenário neste Sertão
Somos prova de amor à terra
Somos Filhos de Afogados
Afogados da Ingazeira com 100 anos de fundação

Wilson Monteiro
SALGUEIRO / Pernambuco
contato@palavrasdosertao.com.br

Wilson Monteiro
Salgueiro, PE Brasil - 17-Maio-2009 / 8:35:10
Quando do lançameno do livro COM JEITO DE FAZER (Edições BAGAÇO), de Maria Lúcia, o presidente da Academia Pernambucana de Letras fez sua apresentação:

Diletíssima Dra. Maria Lúcia de Araújo Nogueira.

ALGUMAS PALAVRAS COM SABOR DE SERTÃO

A mim, me coube, através de gentil convite, a subida honra desta saudação. Faço-a com a alma repleta de contentamento e o júbilo de quem fala sobre uma escritora que tem a mente transbordante de idéias e um desejo enorme de extrapolar os seus nobres sentimentos.

Conheço de perto a lavra literária da Dra. Maria Lúcia, essa sertaneja que traz no coração o bem querer da terra/berço e na memória, o panorama inconfundível da sua infância dividida entre a cidade e o campo. O campo donde emana o cheiro de curral e a cantata do carro de boi pela voz dolente dos cocões de aroeira.

Temos, afinal, a publicação de um dos livros dessa escritora. Digo assim, porque este “COM JEITO DE FAZER” não é a primeira obra escrita por essa espontânea poetisa. Já tive o prazer imenso de ler os originais de outros filhotes literários dessa sertaneja de Afogados da Ingazeira.

Nascida naqueles rincões e envolvida no manto sagrado da caatinga nordestina, acostumada a correr nas campinas verdejantes das várzeas do lendário Pajeú, rio cantado e decantado pelas violas plangentes dos repentistas de lá (...)

Leia todo o texto, clicando em CULTURA/ESCRITORES - Maria Lúcia G. A. Nogueira

CULTURA/ESCRITORES - Maria Lúcia G. A. Nogueira
Recife, PE Brasil - 16-Maio-2009 / 9:23:35
Em continuação à série de crônicas, Zezé de Moura revive momentos ocorridos há mais de 50 anos

CINQUENTA ANOS - 3

Meio Século... Cinquentenario! Já parou para pensar no significado desta marca do tempo? Lembro-me que, quando criança, tais números eram astronômicos para mim. Era quase impossível compreender. No entanto, quando colocamos no cenário a vida de dois jovens, que se conheceram e se dedicaram um ao outro, como amigos, amantes e parceiros pela longa jornada da vida, mantendo o juramento feito diante de Deus e dos homens, a coisa toma outro sentido.

Fiquei revisitando os anos que se foram tão rapidamente e me lembrei então que tudo foi nada mais do que uma dádiva divina. Deus nos uniu de maneira peculiar, quase incrível.

Ela veio de São Paulo passar uma semana de férias na casa da tia que morava em Copacabana, no Rio de Janeiro. Eu estava servindo na Marinha do Brasil, perdido na imensidão da Cidade Maravilhosa, sem amigos, sem ninguém, sem haver encontrado aquela que seria amante, parceira, companheira e amiga por toda vida (...)

Clique em CRÔNICAS - Zezé de Moura - e leia o relato, na íntegra.

CRÔNICAS - Zezé de Moura
Rosemead, California, CA USA - 15-Maio-2009 / 23:18:33
Eu e toda a minha família, enviamos votos de pesares à familia de RAQUEL.

Cleonice Ramos de Oliveira <cleoniceramos_1954@hotmail.com>
Afogados da Ingazeira, PE Brasil - 15-Maio-2009 / 17:18:46
[Anterior] [Próximo]

Volta

Livro de Visitas desenvolvido pela Lemon Networks